5 hábitos que prejudicam a saúde da bateria do seu celular

Tatiany Martins, Diretora Comercial da Pitzi / Divulgação
Tatiany Martins, Diretora Comercial da Pitzi / Divulgação

Confira artigo de Tatiany Martins, diretora comercial da Pitzi

Quem nunca ficou na mão ao perceber que o celular estava prestes a descarregar? Se nenhum amigo estava por perto para emprestar o tão amado carregador, a situação se torna ainda mais frustrante. Hoje, não tem como negar que a saúde da bateria é uma das grandes preocupações da maioria das pessoas que depende do queridinho eletrônico para realizar tarefas que envolvem desde o trabalho à organização da rotina de casa.

Isso porque, com o passar do tempo, o componente perde parte da sua capacidade. Assim, é natural que forneça menos energia e, consequentemente, dure menos tempo. Ainda que existam disputas entre grandes fabricantes acerca da vida útil e da duração da bateria em seus aparelhos, quase todos enfrentam esse mesmo problema com o decorrer do uso.

No entanto, existem alguns hábitos comuns que ajudam a acelerar esse processo e prejudicar o desempenho do dispositivo. Então, para manter a saúde da bateria em alta, evite os seguintes comportamentos:

Descarregar o celular totalmente ou carregar por muito tempo

As baterias dos smartphones mais modernos são feitas de íons de lítio e, para mantê-las em bom estado, especialistas da área técnica recomendam que o componente não descarregue totalmente e tampouco fique carregando por muito tempo na tomada. Quando está totalmente sem carga, o risco de explosão do aparelho aumenta. Já quando está cheia, o smartphone pode esquentar e reduzir o seu desempenho. Há quem diga que o ideal é usar a bateria entre 40% e 80%.

Tela no brilho máximo

O consumo da bateria também está muito relacionado ao brilho da tela. Quanto mais intenso, maior o uso da carga. Por isso, reduzi-lo sempre que possível ou utilizar a função de brilho adaptável à luminosidade do ambiente garante mais fôlego ao componente.

GPS sempre ativado

É interessante desativar o GPS quando os aplicativos que necessitam dessa função não estiverem em uso. Ferramentas que utilizam o serviço de localização em tempo real demandam muito consumo da bateria.

Programas em segundo plano

Vários apps têm funções de monitorar ou controlar atividades em segundo plano, ou seja, continuam funcionando mesmo que o celular esteja parado, permitindo, por exemplo, o recebimento de notificações. Portanto, necessitam de mais energia para funcionar. Para amenizar essa questão, os usuários podem recorrer ao modo de economia de bateria, que realiza uma série de mudanças no celular para que a carga dure mais tempo.

Sons e vibrações em excesso

Os sons que o aparelho reproduz, o volume usado para ouvir música e as vibrações a cada notificação também exigem muito da bateria. Nesses casos, as soluções são silenciar o aparelho, e se for o caso, usar fones de ouvido e desativar o modo vibração de determinados aplicativos.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Insurtech Latam Fórum 2023 traz inovação na sua programação presencial e digital
Insurtech Latam Fórum 2023 impulsiona inovação e conexões / Reprodução

Insurtech Latam Fórum 2023 traz inovação na sua programação presencial e digital

Na sua quinta edição, o evento proporciona oportunidades e networking de valor

Próximo
Rodobens amplia benefícios aos seus parceiros de negócios por meio da KINTO
Rodobens amplia benefícios aos seus parceiros de negócios por meio da KINTO / Foto: Divulgação

Rodobens amplia benefícios aos seus parceiros de negócios por meio da KINTO

Empresa que conta com uma rede de mais de 4 mil parceiros para a distribuição de

Veja também