6 mitos e verdades sobre o impacto do ChatGPT no ensino

Jan Krutzinna, CEO e fundador da ChatClass / Foto: Marco Torelli / Divulgação
Jan Krutzinna, CEO e fundador da ChatClass / Foto: Marco Torelli / Divulgação

Jan Krutzinna, CEO e fundador da ChatClass, startup que visa revolucionar a educação por meio do aprendizado via chatbot, explica que a Inteligência Artificial pode ser uma aliada do professor na sala de aula e não o contrário

Um robô de bate-papo que reproduz informações em texto pode facilitar a vida das pessoas? E o ensino, será impactado? Esses e outros questionamentos acerca do ChatGPT, passaram a fazer parte das discussões em vários setores. Com isso, já surgiram alguns mitos em torno da novidade, que já tem mais de 100 milhões de usuários ativos desde seu lançamento no final de novembro, de acordo com uma pesquisa da Similarweb, ferramenta de análise de sites e aplicativos.

Para Jan Krutzinna, CEO e fundador da ChatClass, edtech que oferece tecnologia de IA para capacitação, ensino de inglês e experiências conversacionais via chabot, a Inteligência Artificial é um ganho para a sociedade, principalmente no âmbito educacional e veio para agregar ainda mais no processo de ensino. “A IA pode ampliar o conhecimento do professor, dar suporte no preparo das aulas e auxiliar na prática dos alunos. Ela expande as possibilidades para todos”, explica o CEO.

Para desmistificar de vez a aplicação do ChatGPT e o seu impacto no ensino, o executivo elencou 6 mitos e verdades sobre o assunto.

1 – O ChatGPT pode substituir o professor, de forma gradual

Mito. Há características dos professores que (ainda) não podem ser substituídas pelas máquinas como motivação e empatia. Porém, o ChatGPT pode ser uma ferramenta útil para ajudar os alunos a compreender melhor os conteúdos, fornecendo feedback interativo e explicações personalizadas. Ele também pode fornecer recursos adicionais, como links para materiais de estudo, tutoriais e outras informações relevantes. E pode ser útil também para substituir o professor em tarefas burocráticas e repetitivas como fazer a chamada, corrigir exercícios ou planejar aulas”.

2 – O ensino pode ser totalmente automatizado

Mito. A Inteligência Artificial (IA) é uma tecnologia poderosa, mas o ensino jamais deve ser totalmente automatizado. É importante que os professores e educadores permaneçam envolvidos e atuem como facilitadores do aprendizado. A IA pode, no entanto, ser usada para ajudar na personalização do ensino, na entrega de conteúdo e na criação de abordagens inovadoras para melhorar a aprendizagem. Pode ainda automatizar tarefas rotineiras burocráticas. Isso torna este setor um grande potencial de desenvolvimento via inteligência artificial.

3 – O ChatGPT é negativo para a educação

Mito. Alguns podem achar que o fato do ChatGPT trazer respostas tão completas e diretas isso poderia facilitar o plágio e atrapalhar o aprendizado dos alunos. É verdade que devemos pensar sobre isso, principalmente sobre como avaliar os alunos já que temos uma ferramenta como essa disponível. Ninguém destruiu a calculadora porque ela foi inventada, arrumou-se um jeito de testar o conhecimento dos alunos considerando que existe uma ferramenta tão boa para fazer contas. O ChatGPT pode ajudar os alunos a aprender e a aprimorar suas habilidades de pensamento crítico”.

4 – A IA traz funcionalidades que agilizam o ensino

Verdade. A IA pode ajudar em muitas áreas: no feedback automatizado, auxiliando o professor que não tem tempo suficiente para dar retornos efetivos sobre o desenvolvimento do aprendizado de cada aluno; na tutoria individual, ajudando os alunos a entenderem conceitos que têm mais dificuldades; e na criação de planos de aula e materiais educativos em formato de pílulas de conteúdo dinâmicos e efetivos via redes sociais. Você pode usar a IA também para transcrever palestras que só estão disponíveis em áudio, para resumir grandes textos e livros em poucos tópicos.… Suas possibilidades são infinitas e isso me empolga muito. Hoje, há milhões de pessoas que fazem cursos via WhatsApp, com feedback rápido da IA e conteúdos que não acabam nunca. A revolução já começou.

5 – O ChatGPT incentiva a linguagem mais natural dos chatbots

Verdade. O ChatGPT usa modelos de linguagem baseados em aprendizado profundo para gerar respostas mais precisas e relevantes, o que ajuda a melhorar a experiência de conversação dos chatbots. Além disso, o ChatGPT também fornece recursos avançados como inteligência artificial e aprendizado de máquina para ajudar a melhorar a linguagem natural do chatbot. Com o ChatGPT, a expectativa é de grande avanço na naturalização na linguagem dos robôs. Não há volta, caminhamos cada vez mais para criar robôs que conversam com as pessoas exatamente como nós conversamos”.

6 – O ChatGPT não é uma ameaça ao mercado de chatbots de educação

Verdade. O ChatGPT é um grande passo para o desenvolvimento da IA por ter liberado ao mundo um bot conversacional bastante avançado, tanto em termos de linguagem como de filtragem de informações. Com a liberação de sua API, ele permite que se crie um ecossistema de IA a partir de sua tecnologia. Ao invés de competir com outros chatbots de educação, o ChatGPT os complementa, oferecendo aos educadores ferramentas para criar chatbots mais avançados.

E já são aguardados os lançamentos de novas AGIs [inteligências gerais artificiais] no mundo e isso é realmente promissor, não só para a educação como para todos os setores da sociedade.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Novo lançamento da Alta Books questiona os impactos da pandemia
Novo lançamento da Alta Books questiona os impactos da pandemia / Foto: Susan Q Yin / Unsplash Images

Novo lançamento da Alta Books questiona os impactos da pandemia

Em novo livro a analista de Cenário e autora de Teoria das Relações Nacionais,

Próximo
Live aborda o papel da Inteligência Artificial para os Corretores de Seguros
Live aborda o papel da Inteligência Artificial para os Corretores de Seguros / Divulgação

Live aborda o papel da Inteligência Artificial para os Corretores de Seguros

Transmissão acontece nesta quinta (20 de abril), a partir das 19h

Veja também