abler Vagas: nova ferramenta da startup promete foco em uma melhor experiência para as pessoas candidatas

Alisson Souza, CEO da startup/ Foto: Divulgação
Alisson Souza, CEO da startup/ Foto: Divulgação

Objetivo é entregar sucesso para todas as partes envolvidas no processo de recrutamento e seleção, sejam gestores, recrutadores ou profissionais

As organizações estão percebendo cada vez mais a importância vital de não apenas atrair talentos, mas também de proporcionar uma experiência positiva às pessoas candidatas durante os processos de seleção. O recrutamento eficaz não se trata apenas de encontrar a pessoa certa para o trabalho, mas também de criar uma impressão duradoura e positiva da empresa para o profissional, independentemente do resultado final.

Uma jornada de recrutamento e seleção bem elaborada não apenas facilita a escolha das pessoas candidatas mais adequadas, mas também fortalece a marca empregadora de uma organização.

abler, por exemplo, startup que tem o propósito de conectar empresas e pessoas candidatas, está lançando uma nova versão da sua ferramenta de vagas de emprego para aprimorar processos de candidatura que, muitas vezes, são ineficientes, contam com formulários cansativos, dificultam o preenchimento de currículos e oferecem uma má experiência de uso nas plataformas.

De acordo com Alisson Souza, CEO da startup, o abler Vagas contará com uma estrutura de design completamente remodelada. “O foco é principalmente na parte mobile. Atualmente, aproximadamente 70% dos acessos de pessoas candidatas são feitos via celular e, trazendo essa visão de mobile first para dentro da plataforma, estamos criando um aplicativo para iOS e Android que irá facilitar a vida dos profissionais. Assim, eles poderão receber notificações de convites para processos, feedbacks e outras informações importantes”, revela.

Além da repaginada no design, a solução irá implementar novas funcionalidades. “Agora temos a importação automática do currículo das pessoas candidatas via LinkedIn com apenas um clique, importando dados e completando 100% do cadastro na plataforma. A análise de currículos também é uma novidade, possibilitando a extração de informações de PDFs para completar o cadastro na abler”, pontua.

Outro destaque é uma funcionalidade para que as pessoas candidatas possam revelar o porquê de não se interessarem por determinadas vagas. “Assim, é possível mostrar eventuais pontos de melhoria para a empresa. Ou seja, será possível saber o motivo do desinteresse, sejam os salários, a falta de flexibilidade ou benefícios”, revela.

Vale lembrar que toda a página de carreira e os fluxos de candidatura estão sendo remodelados, facilitando o cadastro e a aplicação para vagas.

Além disso, dois novos modelos de candidatura estão disponíveis. “São elas: a candidatura simplificada com o LinkedIn ou via formulário, em que é apenas necessário inserir o nome, e-mail, telefone, currículo em PDF ou perfil do LinkedIn para se candidatar”, relata.

A atualização da plataforma foi uma decisão que visa melhorar a experiência de uso para quem está buscando uma nova oportunidade de emprego. “Entendemos que o mercado está passando por algumas transformações. Muitas pessoas saíram de seus empregos, passaram por lay-off ou não estão vivenciando boas experiências nos processos seletivos. Precisamos fazer algo a mais pelas pessoas candidatas para que elas vejam mais valor na plataforma, entendendo que a abler é diferente e preza pela sua experiência, sendo uma solução mais fácil, simples e rápida para ser utilizada nos processos seletivos”, declara.

No futuro, a startup planeja munir as pessoas candidatas com mais informações sobre o mercado de trabalho, como as opiniões sobre determinado processo seletivo, dicas sobre os currículos, além de informações em relação aos cursos e habilidades necessárias para concorrer a algumas vagas. “Estamos dando um primeiro passo, que é importar dados de outras plataformas, como o LinkedIn, entregar um layout aprimorado e mostrar para as empresas o porquê das pessoas não estarem se interessando em certos processos. Em um segundo momento, logo após o lançamento, iremos trabalhar com algumas informações mais ricas, utilizando a inteligência artificial para o preenchimento do currículo e para a recomendação de vagas conforme o perfil de cada pessoa candidata”, pontua.

Atenta aos movimentos de mercado, a startup busca conquistar as pessoas candidatas com uma boa experiência e, automaticamente, mostrar às empresas seu diferencial.

Alisson acredita que proporcionar uma experiência ruim para as pessoas candidatas durante o processo de recrutamento e seleção pode prejudicar empresas das mais diversas maneiras. “As pessoas que passam por essa situação podem se tornar detratoras tanto do processo de recrutamento e seleção, quanto do produto ou serviço oferecido pela companhia”, alerta.

A abler entende que o recrutamento é a parte mais importante do processo seletivo. “Sem pessoas candidatas, não tem ATS ou vagas fechadas. A partir do momento que entregamos uma má experiência, a chance de não ter pessoas disponíveis aumenta. Por outro lado, uma boa experiência deixa o funil cada vez mais aquecido, com indivíduos falando bem e recomendando para que outros profissionais participem dos processos seletivos na empresa em questão”, revela.

Além disso, uma experiência ruim dificulta ainda mais a atração das pessoas corretas para o preenchimento de vagas. “Nesse caso, as pessoas candidatas no processo serão apenas aqueles que se sujeitam a participar, mesmo sabendo que a experiência é ruim. Geralmente, essas pessoas não são as melhores para a posição e para os desafios que serão enfrentados pela organização”, declara.

A experiência das pessoas candidatas é fundamental e será o foco da abler no lançamento dessa nova ferramenta. “Passar por um processo seletivo tende a ser difícil e doloroso. O mercado é competitivo e as pessoas estão precisando cada vez mais de um emprego para pagar suas contas e colocar comida na mesa. No entanto, participar de uma seleção não precisa ser traumático e utilizar uma plataforma de recrutamento não precisa ser complexo, difícil e burocrático. Pode ser simples, rápido e tranquilo”, argumenta o CEO.

Contar com uma ferramenta amigável e intuitiva tanto para o RH quanto para as pessoas candidatas é fundamental. “Não se deve entregar uma experiência boa apenas para o recrutador. Muitas vezes, as pessoas candidatas acreditam que a empresa é quem tem o poder nas mãos, mas as pessoas candidatas também são muito poderosas, elas só não sabem disso. Entregar mais facilidades dentro do produto e dar mais voz à pessoa candidata vai fazer com que eles percebam que também são uma parte crucial em um processo seletivo”, explica.

Alisson acredita que o processo só é bem executado quando a missão da empresa, que é encontrar a melhor pessoa para determinada posição no menor espaço de tempo, acontece de forma positiva para todos os lados. “A partir do momento que o processo está sendo bom para a empresa, mas ruim para a pessoa candidata, a chance da companhia contratar alguém que não possui o fit para aquela posição é ainda maior. Se o processo for justo para as pessoas candidatas, com feedback e outros pontos importantes, a chance de sucesso aumenta”, pontua.

Para o CEO, o abler Vagas é uma solução com foco em uma experiência fluida, simples, rápida e fácil para as pessoas candidatas, que não precisa ser traumática ou difícil. “O profissional que está passando por um processo seletivo hoje, pode ser o nosso cliente amanhã. Se entregarmos uma boa experiência no momento da contratação, a chance dele se tornar um fã da nossa marca e levar o nosso produto para dentro da empresa em que ele trabalha é absurdamente maior. Tudo o que estiver ao nosso alcance enquanto software, iremos fazer para equilibrar essa balança e entregar sucesso para todas as partes envolvidas no processo, sejam gestores, recrutadores ou as próprias pessoas candiatas”, finaliza.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
É possível dirigir em Portugal com a CNH brasileira?
Leônia Pinheiro, sócia diretora da CV Assessoria Internacional/ Foto: Divulgação

É possível dirigir em Portugal com a CNH brasileira?

É possível dirigir em Portugal com a CNH brasileira?

Próximo
Saiba mais sobre o papel da IA na conexão entre tecnologia e negócios para 2024
Saiba mais sobre o papel da IA na conexão entre tecnologia e negócios para 2024/ Foto: Freepik

Saiba mais sobre o papel da IA na conexão entre tecnologia e negócios para 2024

Objective, consultoria especializada em soluções digitais, aponta quais

Veja também