Austral Seguradora usa tecnologia e conhecimento para a redução de sinistros

Aline Marques, Coordenadora de Sinistros da Austral Seguradora / Foto: Divulgação
Aline Marques, Coordenadora de Sinistros da Austral Seguradora / Foto: Divulgação

Austral Seguradora registra queda contínua nos níveis de sinistralidade

Com um processo de regulação e precificação que acompanha de perto caso a caso, uma equipe técnica de alto nível e amplo conhecimento de todas as características de seus produtos, a Austral Seguradora registra queda contínua em seus níveis de sinistralidade. A companhia é referência em grandes riscos corporativos e vem desenvolvendo, nos últimos anos, iniciativas de tecnologia e inovação para melhorar a experiência de seus parceiros comerciais e clientes.

Em 2023, a Austral registrou o índice de -5.2% de sinistralidade, uma conquista que a empresa atribui a diversos fatores. “Os investimentos em tecnologia e a nossa subscrição qualificada fazem a diferença nos resultados. A queda de sinistralidade é um reflexo de que estamos seguindo com uma análise correta e eficiente, com estratégias que focam em entregar mais valor ao cliente, que é a figura central do seu negócio”, declara Aline Marques, Coordenadora de Sinistros da Austral Seguradora.

A empresa, que completou 13 anos de atuação no mercado, entende que esses diferenciais competitivos são fundamentais para fortalecer seu posicionamento e contribuir com o desenvolvimento do mercado. Ao garantir a transparência das informações e ampliar o entendimento dos consumidores sobre os produtos contratados e aspectos envolvidos, a Austral também contribui para aumentar a sensação de segurança de clientes corporativos e sua fidelização na prevenção a grandes riscos.

“Trabalhamos para conscientizar e melhorar o entendimento durante a contratação do seguro por nossos clientes, corretores, brokers de resseguro, reguladores e profissionais que lidam com gestão de riscos, explicando detalhadamente os processos de regulação, a precificação correta e especificações dos produtos”, finaliza a executiva.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
MAG Seguros, Parque Brasil e Grupo Primaveras se unem para construir o maior grupo funerário da América Latina
Bruno Regis (Chief Operations Officer do Parque Brasil) , Nilton Molina (presidente do Conselho de Administração do Grupo MAG) e Helder Molina (CEO do Grupo MAG); Hugo Tanure (CEO do Parque Brasil) / Foto: Divulgação

MAG Seguros, Parque Brasil e Grupo Primaveras se unem para construir o maior grupo funerário da América Latina

Fusão entre Parque Brasil e Grupo Primaveras leva disrupção, tecnologia e DNA

Próximo
Você sabia que mesmo em novembro ainda dá tempo de empreender?
José Paulo Emsenhuber, CEO da Nimbus e investidor da Futurum Capital / Foto: Divulgação

Você sabia que mesmo em novembro ainda dá tempo de empreender?

Empreendedorismo ainda em 2023: a hora de realizar seu sonho e alcançar o

Veja também