BNDES aprova até R$ 100 mi para fundo de índice (ETF) voltado à promoção da diversidade nas empresas

BNDES aprova até R$ 100 mi para fundo de índice (ETF) voltado à promoção da diversidade nas empresas/ Foto: Unsplash
Foto: Unsplash

A iniciativa marca a retomada de investimentos da BNDESPAR com foco nos fundos de índice (ETFs) e em linha com o objetivo de desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou aquisição de cotas do fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) BB ETF Índice Diversidade B3 Investimento Sustentável (BB ETF IDIVERSA B3 IS). Com aporte inicial de R$ 37 milhões, o investimento do Banco, por meio de seu braço de participações, a BNDESPAR, poderá chegar a R$ 100 milhões no BB ETF IDIVERSA B3 IS até outubro deste ano, tendo sua participação limitada a 50% do total das cotas do fundo.

O BB ETF IDIVERSA B3 IS está atrelado ao IDiversa B3, índice da bolsa de valores do Brasil, formado por empresas que adotam boas práticas relativas à diversidade de raça e gênero. Identificado pelo ticker DVER11, o fundo é voltado a investidores pessoa física e institucionais, como asset managers, hedge funds, mesas proprietárias e fundos de pensão.

O ETF apresenta vantagens para o investidor quando comparado aos fundos de investimento tradicionais. É mais simples e menos oneroso por oferecer diversificação por meio de um único investimento em uma cesta de ativos que compõem índices, como é o caso do IDiversa B3. Quem investe também pode contar com maior liquidez. Como as cotas de ETFs são negociadas na bolsa de valores diariamente, não há necessidade de aguardar períodos longos de resgate, como ocorre nos fundos tradicionais. A transparência é outro aspecto do fundo. Por refletir um índice de mercado, é possível saber qual a composição do ETF a qualquer momento.

“Este aporte do BNDES é o primeiro passo da retomada de investimentos pela BNDESPAR para o desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro de ETFs e a ampliação do acesso pelas pessoas físicas a este tipo de produto por meio de métodos mais inovadores e sustentáveis. Nosso compromisso é que a retomada da atuação da BNDESPAR em mercado de capitais esteja direcionada não apenas à busca pura e simples de rentabilidade financeira, mas que leve em consideração a realização de investimentos sustentáveis e responsáveis”, afirma a diretora de Mercado de Capitais e Finanças Sustentáveis do BNDES, Natália Dias. Ela avalia que a entrada da BNDESPAR também pode estimular a adesão de mais investidores e o fortalecimento da pauta de diversidade no mercado financeiro.

À frente da gestão do BB ETF IDIVERSA B3 IS (DVER11), o presidente da BB Asset, Denísio Liberato, destaca a importância do aporte do BNDES para o crescimento do fundo, considerando o ganho de escala da iniciativa e os impactos positivos para as empresas comprometidas com a diversidade. “A criação do fundo mostra que o compromisso com a diversidade, equidade e inclusão está no centro da nossa estratégia. Estamos focados em promover a inovação em nossas soluções e oferecer aos nossos investidores produtos que alinhem performance com sustentabilidade. O investimento do BNDES representa um marco estratégico para o incremento do fundo”, diz Liberato.

A vice-presidente de Pessoas e ESG da B3, Ana Buchaim, ressalta que o objetivo do IDiversa B3 é estimular que o mercado continue evoluindo em práticas sustentáveis. “O índice traz mais transparência às boas práticas ESG, ajuda a elevar a diversidade de forma consistente nas empresas, além de oferecer para o investidor, em especial para a pessoa física, a oportunidade de aplicar em um produto que esteja adequado aos seus valores”, esclarece Buchaim.

Pioneirismo – A diretora do BNDES lembra o pioneirismo da parceria entre o Banco e a B3 com a criação do primeiro ETF do Brasil, o PIBB, em 2004, e o lançamento do Índice de Carbono Eficiente (ICO2) e do ETF ECO11, em 2012. As iniciativas contribuíram de maneira inovadora para o desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro e o incentivo à redução das emissões de carbono.

Em 2023, os esforços foram ampliados para a implementação de diretrizes de diversidade e inclusão. “O BNDES revisou o Sustainability Bond Framework para incorporar indicadores-chave de desempenho (Key Performance Indicators) específicos para equidade de gênero e outros aspectos sociais; criou um grupo de trabalho para debater propostas para acelerar a inclusão étnico-racial; e incorporou parâmetros de diversidade e inclusão à seleção de participantes do programa de aceleração de startups BNDES Garagem”, observa Dias.

A partir de março de 2024, estão previstos novos investimentos com a conclusão do processo de revisão da estratégia de atuação da BNDESPAR, com adoção dos pilares de apoio a políticas públicas; eficiência na gestão de carteira; e desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro.

Incentivo à diversidade – Em outras frentes de atuação, o BNDES também fomenta a equidade de raça e gênero nas empresas. Na edição de 2023 do BNDES Garagem, 91% de startups selecionadas contemplaram algum aspecto de diversidade, considerando gênero, raça e região do Brasil. Os números mostram que 80% apresentaram diversidade de gênero e 64,4% diversidade racial.

A chamada de Fundos de Capital Semente e Venture Capital, lançada em setembro de 2023, prevê o aporte de até R$ 638,5 milhões em seis fundos de investimento em micro, pequenas e médias empresas, a partir de critérios de diversidade das gestoras e das equipes alocadas nos fundos. Com isso, o objetivo é incentivar a presença de mais mulheres e negros em posição de tomada de decisão de investimentos.

BB ETF Índice Diversidade B3 Investimento Sustentável – Lançado em outubro de 2023 pela BB Asset, o fundo atrelado ao índice IDiversa B3 tem como objetivo tornar os indicadores de diversidade visíveis e tangíveis para o mercado e gerar comparabilidade no desempenho das empresas. A expectativa é de que isso contribua para o fomento a boas práticas em diversidade no mundo corporativo, indo além dos tradicionais aspectos econômicos relacionados a investimentos, como liquidez, diversificação e gestão de portfólio.

IDIVERSA B3  Lançado em agosto de 2023 pela B3, é o primeiro índice latino-americano a medir critérios de gênero e raça nas empresas listadas, e acompanha a performance de um grupo de empresas selecionadas a partir de critérios determinados de diversidade da composição de suas categorias funcionais (Conselho de Administração, Diretoria Estatutária, Liderança e Não Liderança) no que diz respeito a raça/cor e gênero, em comparação com os dados do Censo do IBGE.

Em outubro de 2023, foi celebrado Acordo de Desenvolvimento entre a BNDESPar, a BB Asset e a B3 por meio do qual as entidades buscarão melhorar o índice para que seja ainda mais efetivo no fomento a boas práticas em diversidade nas companhias abertas brasileiras.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Manual de Seguro Garantia reforça regulamentação e amplia segurança jurídica no setor
Luiza Jordão, associada sênior da área de seguros do Veirano Advogados/ Foto: Divulgação

Manual de Seguro Garantia reforça regulamentação e amplia segurança jurídica no setor

Especialista do Veirano Advogados explica documento divulgado pela SUSEP para

Próximo
Aprendizado remoto extremo: O aprendizado online rompe barreiras para a educação no mundo todo
O aluno JJ Durand Torres e o instrutor Diego Davila na Amazônia peruana/ Foto: Divulgação/Udemy

Aprendizado remoto extremo: O aprendizado online rompe barreiras para a educação no mundo todo

A Udemy celebra o Dia Internacional da Educação mostrando o importante papel que

Veja também