Denúncias de consumidores faz Idec notificar cinco empresas por uso obrigatório de biometria facial

Biometria facial na contratação do Fiança Locatícia da Porto Bank está disponível gratuitamente para todo o Brasil / Foto: Freepik
Foto: Freepik

O Instituto recebeu durante todo o ano de 2023 várias reclamações de pessoas que só teriam acesso a serviços se aceitassem fotografar o próprio rosto

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) notificou cinco empresas pelo uso obrigatório de biometria facial para que consumidores tenham acesso a determinados serviços. A notificação foi enviada na última sexta-feira (24), após o Instituto receber uma série de reclamações de consumidores sobre o assunto.

As empresas notificadas foram a Claro, a Vivo, o Mercado Livre, o Banco BTG e o Itaú. Cada uma delas por um motivo diferente. As reclamações sobre a Claro e Vivo são por conta da obrigação de se utilizar a biometria facial para a contratação e cancelamento de serviços.

Já o banco BTG Pactual exige a foto do rosto dos consumidores para o acesso à conta pelo aplicativo. O Itaú obriga seus clientes a fazerem a biometria para cadastrar o código de token e demais serviços.

O Mercado Livre foi notificado por exigir o reconhecimento facial em diferentes momentos do acesso do usuário ao site ou aplicativo, inclusive no cadastro do consumidor à plataforma e para reembolso ou devolução de valores.

Para o advogado e pesquisador do programa de Telecomunicações e Direitos Digitais do Idec, Lucas Marcon, as empresas até podem utilizar desse mecanismo, mas ele não pode ser obrigatório. “Nenhum consumidor deve ser obrigado a tirar uma foto do próprio rosto para acessar algum serviço, considerando que não há relação direta entre a biometria e o serviço em si. Pode até existir essa opção, mas ela não deve ser a única. O uso de biometria traz riscos desnecessários para o consumidor e há outras formas de identificação e prevenção de fraude mais seguras”, confirma.

Na notificação, o Idec faz uma série de perguntas às empresas para saber para quais serviços é obrigatório o cadastro da biometria facial e quais as medidas tomadas para minimizarem os riscos aos consumidores. “Embora ainda não tenhamos regulamentação sobre o uso de biometria facial, defendemos que o consumidor tem o direito de recusar o cadastro de biometria. Nesse caso, precisamos saber a política completa das empresas para o uso desses dados, para analisarmos o que será possível fazer após o recebimento dessas respostas”, conclui Marcon.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Europ Assistance assegura R$ 50 milhões em cobertura médica para viagem do MSC Grandiosa
Europ Assistance assegura R$ 50 milhões em cobertura médica para viagem do MSC Grandiosa / Foto: Divulgação / MSC Cruzeiros

Europ Assistance assegura R$ 50 milhões em cobertura médica para viagem do MSC Grandiosa

Navio de cruzeiro da classe Meraviglia Plus possui 331 metros de comprimento, 43

Próximo
Gallagher lança pesquisa de benefícios com tendências do mercado corporativo brasileiro

Gallagher lança pesquisa de benefícios com tendências do mercado corporativo brasileiro

De acordo com o material, 75% das empresas já incorporaram o home office em suas

Veja também