Hospital Unimed Volta Redonda realiza primeiro Transplante de Fígado da região Sul Fluminense

Hospital Unimed Volta Redonda realiza primeiro Transplante de Fígado da região Sul Fluminense
Foto: Divulgação

O paciente segue em recuperação ao lado de sua família

Carlos Alberto Barbosa, de 76 anos, morador de Barra Mansa, tinha uma esteato-hepatite não alcoólica, que evoluiu para uma cirrose, necessitando da realização de um transplante de fígado. Em setembro, o Hospital Unimed Volta Redonda recebeu habilitação do Ministério da Saúde para realização do transplante de fígado e rim. Com isso, surgiu a possibilidade do paciente realizar o procedimento na unidade, sendo o primeiro transplante de fígado da região Sul Fluminense e do Hospital Unimed Volta Redonda.

O procedimento foi realizado pela equipe cirúrgica do hospital: Ronaldo de Oliveira, Maria Eduarda Monachesi e Gabrielle Oliveira. A equipe é liderada pelo médico-cirurgião Eduardo Fernandes, especialista em transplantes de órgãos abdominais e cirurgias oncológicas abdominais e membro associado à International Liver Transplantation Society (Sociedade de Transplante de Fígado). O transporte do órgão até Volta Redonda foi viabilizado pela Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro em parceria com a Central Estadual de Transplantes do Rio de Janeiro (CET).

Após uma semana da cirurgia, o paciente, que fez aniversário na mesma semana do procedimento, recebeu alta hospitalar e segue sua recuperação em casa ao lado de sua família: “Estou me sentindo muito bem, me recuperando como o esperado. Meu presente de aniversário foi o transplante. Um presente que eu não achava que poderia receber. Fico feliz de ser o primeiro paciente e abrir as portas para mais pessoas que precisam. Tenho que agradecer a todos da equipe do hospital, a atenção e a paciência comigo, até bolo no meu aniversário ganhei.”, disse.

Carlos Alberto também falou sobre a importância da sua família neste processo: “Tenho 54 anos de casado, 2 filhos e 5 netos. Minha esposa, Sandra, falou comigo por videochamada todos os dias em que estive internado. Tenho o costume de assobiar em casa e durante este período que fiquei no hospital, ela até ouviu assobios, como se eu estivesse lá. Minha nora também me ajudou muito, é como uma filha para mim, resolveu tudo para que eu pudesse fazer a cirurgia. Agora, quero descansar, evitar problemas, e aproveitar a vida até quando Deus me permitir”, comentou.

Fernanda Borges, nora do paciente, acompanhou o processo para realização do transplante desde o diagnóstico até a alta hospitalar. Ela destaca que o hospital está preparado para o procedimento, com uma equipe atenciosa e prestativa: “Agradeço a Deus, a Dra. Claudia, Dr. Hugo e ao hospital, no qual estou maravilhada com o atendimento. Acompanhei algumas consultas e procedimentos aqui, mas foi a primeira vez acompanhando uma internação na unidade. Não tenho nada para falar de ninguém, o hospital está muito preparado”, disse.

Responsável pelo procedimento, Fernandes explicou a importância da realização do transplante hepático na região: “A criação de um centro de transplante em Volta Redonda traz para a região o acesso a um tipo de procedimento que muitos precisam se locomover para a cidade do Rio de Janeiro, um local que têm mais acesso. Só que muitos dos pacientes que necessitam de um transplante, dependendo da gravidade do caso, têm dificuldade de realizar esse trajeto. Essa iniciativa de colocar um centro à disposição, beneficia a população, além de trazer uma quantidade enorme de benefícios para a instituição”, disse o médico, que também é professor do departamento de cirurgia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Para o presidente da Unimed Volta Redonda, Vitório Moscon Puntel, a realização do primeiro transplante de fígado do Hospital Unimed Volta Redonda e da região Sul Fluminense é uma conquista que reforça o interesse da Cooperativa em cumprir seu propósito de cuidar das pessoas, o objetivo em ser referência em soluções para saúde e contribuir para a interiorização de tecnologias médicas antes só acessíveis em grandes centros. “Neste ano, em que comemoramos 11 anos que realizamos transplante de medula óssea na unidade, avançamos e trouxemos para região outras três modalidades: fígado, rim e tecidos, sendo o primeiro hospital da região habilitado para essas cirurgias. Em breve, também vamos realizar o primeiro transplante de rim da unidade e Região Sul Fluminense e ser habilitado para o procedimento em outros órgãos”, reforçou o presidente.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Outubro: planos exclusivamente odontológicos registram 32,2 milhões de usuários
Outubro: planos exclusivamente odontológicos registram 32,2 milhões de usuários/ Foto: Pexels

Outubro: planos exclusivamente odontológicos registram 32,2 milhões de usuários

Setor segue estável e planos de assistência médica mantiveram o número de

Próximo
Omint: parceiros das verticais de saúde e seguros são premiados em evento
Da esquerda para a direita: Eduardo Octaviano Filho, Ricardo Ferraz, Cícero Barreto, André Coutinho, Marcos Loreto, José Luiz Florippes e Eduardo Monteiro / Foto: Divulgação

Omint: parceiros das verticais de saúde e seguros são premiados em evento

Encontro aconteceu no dia 7 de dezembro, no Espaço São Paulo, com a presença de

Veja também