Norte e Nordeste são as regiões que mais precisam de investimento em geotecnologia, aponta plataforma

Foto: Ingo Joseph/ Pexels
Foto: Ingo Joseph/ Pexels

Com lançamento do PAC 3, o marketplace Mercado Topográfico vê oportunidade para investir em equipamentos mais modernos e capacitar os profissionais do setor

O Governo Federal lançou em 11 de agosto o PAC 3 (Programa de Aceleração do Crescimento), que destinará R$240 bilhões nos próximos quatro anos para as áreas de transporte, energia, infraestrutura urbana, inclusão digital, infraestrutura social inclusiva e água. Com isso, os aportes anuais nesses setores, que atualmente somam R$20 bilhões, deverão chegar a R$60 bilhões.

Para Weslei Lima, gestor do marketplace Mercado Topográfico, plataforma de divulgação de produtos e serviços do setor de geotecnologia, esse aumento deve movimentar o mercado de topografia. “Investimentos em infraestrutura trazem consigo desenvolvimento tecnológico e de mão de obra, o que é bastante positivo, mas é preciso olhar para as necessidades dos trabalhadores do ramo a fim de que tenham acesso aos recursos necessários para realizar os projetos”, diz.

De acordo com estudo realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em junho deste ano, 38% das máquinas e equipamentos industriais em uso estão próximos ou já ultrapassaram a idade sinalizada pelo fabricante como ciclo de vida ideal, que em média é de 14 anos. “Realizamos no Mercado Topográfico um levantamento que indica que, em algumas regiões do país, como Norte e Nordeste, por exemplo, há carência de aportes para aumentar a demanda e tornar mais acessíveis os equipamentos que são utilizados pelos profissionais de topografia para executarem seus projetos. São locais em que a maior parte das ferramentas são de segunda mão ou tem muito tempo de uso”, comenta Lima.

Em contrapartida, os estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Santa Catarina se destacam entre os maiores consumidores de equipamentos de geotecnologia. “A nossa plataforma é amplamente acessada em cidades como Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília, Salvador e Porto Alegre”, conta.

Plataforma concentra produtos e serviços para profissionais de topografia e empresas

“Além de todos os recursos tecnológicos, é necessário facilitar a colocação do topógrafo no mercado de trabalho. Por isso, oferecemos no Mercado Topográfico a possibilidade de o profissional se inscrever na plataforma e oferecer seus serviços às empresas, tanto públicas quanto privadas”, diz Lima.

O gestor explica que a possibilidade de fazer anúncios em uma plataforma de marketplace ajuda na contratação desses trabalhadores e expande os horizontes de quem é da área. “Já contamos com centenas de profissionais e empresas inscritas, para oferecer e contratar consultorias, projetos, vagas de emprego, cursos, equipamentos e sorteios, o que tem gerado oportunidades de trabalho para essas pessoas, ao mesmo tempo em que as companhias contam com um banco de talentos à disposição”, conta.

Em breve, como parte dos investimentos, a plataforma disponibilizará a oferta de cursos e treinamentos ministrados por parceiros especializados para capacitar constantemente esses trabalhadores. “Estamos também desenvolvendo um aplicativo para facilitar a interação dos profissionais com as ferramentas e empresas”, finaliza o gestor.

Total
0
Shares
Anterior
Azos promove evento para aproximação com escritórios de investimentos
Azos lança cobertura inédita por incapacidade temporária / Reprodução

Azos promove evento para aproximação com escritórios de investimentos

Ao todo, o encontro reuniu profissionais de mais de 40 escritórios de

Próximo
5 dicas para saber identificar vícios ocultos em veículos
Foto: Pixabay/ Pexels

5 dicas para saber identificar vícios ocultos em veículos

Para saber detectar esse tipo de problema, confira as dicas que a LeasePlan |

Veja também