O calor apertou? Refresque-se, mas sem derreter o seu dinheiro!

O calor apertou? Refresque-se, mas sem derreter o seu dinheiro! / Foto: Freepik
Foto: Freepik

Confira artigo de Thiago Godoy, educador financeiro da Rico

Com essas ondas de calor cada vez mais selvagens, não é apenas a nossa paciência que derrete. Se não ficarmos de olho, as nossas finanças podem sofrer com as altas temperaturas também: desde a plantação de tomates até o bolso de cada um de nós.

O calor extremo pode destruir as plantações, o que significa menos comida na prateleira e preços lá em cima no supermercado. Os alimentos que precisam de refrigeração para o transporte também sofrem com o calor. As geladeiras e freezers consomem energia, e quando o calor aperta, a conta de luz pode ficar mais alta do que um telhado de zinco sob o sol escaldante.

Mas e quanto a você, está sofrendo com a onda de calor? E aí, você já pensou em comprar um ar-condicionado? A tentação é grande, mas tem que colocar isso no papel. Além do preço do aparelho em si, a conta de energia vai subir igual à temperatura.

Mas não se desespere, neste texto vou mostrar como não furar o orçamento e manter a casa fresquinha.

Dicas para não derreter o seu dinheiro:

  1. Saiba o tamanho do cômodo – Se você quer comprar o ar-condicionado, a primeira coisa que precisa fazer é saber a metragem do cômodo onde você vai instalar ele. Na sala, no quarto?  Tem que saber quantos metros quadrados pois a potência do ar é de acordo com o tamanho do ambiente. Se você comprar um ar muito potente para o tamanho do quarto, vai torrar dinheiro à toa. Se comprar um ar que não tem potência suficiente, o ar não vai refrescar a sua vida. Se você não tem a planta da casa, basta medir as duas paredes perpendiculares e multiplicar. Se uma parede tem 4 metros de largura e a outra tem 5, o cômodo tem 20 metros quadrados.Agora, é só pesquisar quantos BTUs (unidades termais) um ar precisa ter para refrigerar um cômodo de 20 metros quadrados. Nesse caso, 12.000 BTUs seriam suficientes.
  2. Cuidado com a elétrica – Comprou o ar correto? Ótimo, agora precisa fazer a instalação elétrica adequada. Um ar-condicionado precisa de um disjuntor. A função dessa peça é proteger o aparelho e funciona controlando a corrente elétrica que passa pelo ar-condicionado. Quando essa corrente ultrapassa certo valor, o disjuntor a “interrompe”, evitando possíveis curtos-circuitos e outros problemas elétricos. Problemas que poderiam custar muito caro. Então o disjuntor é um investimento! Precisa verificar também qual disjuntor é adequando para a potência do seu ar-condicinado. No caso do nosso exemplo de 12.000 BTUs, o disjuntor mais adequado para um equipamento com 220V de tensão elétrica estará entre 16A e 20A. Ah, importante também saber que grande parte dos aparelhos de ar-condicionado opera em 220v. Provavelmente você vai precisará fazer a instalação de uma tomada 220v na sua casa.
  3. Controle a temperatura – Instalou o ar? Maravilha, que refresco! Mas não precisa fazer da sala um iglu, não é mesmo? Sabia que cada grau a menos no termostato pode aumentar o gasto de energia em até 10%? Então tente economizar pois o aparelho consome muita energia elétrica. Se você coloca no mínimo, que normalmente está em torno de 16 graus celsius, você vai refrescar o ambiente e derreter o seu bolso. Aqui vale uma dica de ouro: você pode usar ventiladores para circular o ar e aliviar a sensação de calor, sem abusar do ar-condicionado. Ou seja, coloque a temperatura na configuração de conforto térmico (entre 22C e 24C) e perto de você coloque um pequeno ventilador. Vai economizar bastante!
  4. Manutenção em dia – O seu amigo geladinho precisa de amor. Faça a manutenção regular, limpeza de filtros e verificação de vazamentos para mantê-lo eficiente. A falta de manutenção pode custar bem mais caro.
  5. Selando o cômodo – Mantenha portas e janelas fechadas enquanto o ar-condicionado estiver ligado. Nada de deixar o ar fresco escapar! A troca constante entre o ar quente de fora e o ar frio de dentro pode explodir a sua conta de luz. Uma outra coisa importante é bloquear ao máximo a luz de fora. Melhore o isolamento da sua casa com janelas eficientes e cortinas que bloqueiem o calor. Esse também é um investimento que nos faz economizar bastante no longo prazo.
  6. Economia de Energia – Desligue luzes e aparelhos elétricos quando não estiverem em uso. Eles geram calor e forçam o ar-condicionado a trabalhar mais.
  7. Cuidado com o hábito – Muitas vezes ligamos o ar-condicionado sem necessidade, apenas por hábito. Um ventilador pode dar conta do recado gastando 10 vezes menos energia elétrica. Ligue o ar apenas quando o ventilador não estiver dando conta do recado. Se você seguir essas dicas para manter a conta de luz sob controle e não derreter sua grana com o ar-condicionado, tenho certeza que com planejamento e algumas medidas simples, você pode enfrentar o calor de cabeça fria, literalmente!
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prev
Allianz Seguros fortalece parceria com corretores de Vitória
David Beatham, diretor executivo de Automóvel, Massificados e Vida da Allianz Seguros / Foto: Túlio Vidal / Divulgação

Allianz Seguros fortalece parceria com corretores de Vitória

No evento, companhia ouviu as principais corretoras da região com o intuito de

Next
Unimed Volta Redonda é reconhecida em prêmio de Melhores Práticas
Unimed Volta Redonda é reconhecida em prêmio de Melhores Práticas / Foto: Divulgação

Unimed Volta Redonda é reconhecida em prêmio de Melhores Práticas

Premiação reconhece o empenho das Unimeds na execução das suas atividades, ao

You May Also Like