Proposta dá preferência em férias para pessoas com deficiência

Depositphotos
Direitos Humanos - deficiente - pessoa em cadeira de rodas - cadeirante
Prioridade na escolha do período de férias pode ajudar no planejamento

O Projeto de Lei 1242/22, já aprovado pelo Senado, determina que a pessoa com deficiência que exerça atividade remunerada, assim como aquela que exerça atividade remunerada e que tenha cônjuge, companheiro ou dependente com deficiência, terão direito a preferência na concessão de férias.

O texto em análise na Câmara dos Deputados insere o dispositivo no Estatuto da Pessoa com Deficiência. Prevê apenas a prioridade, em relação aos empregados de uma mesma empresa, por exemplo, na escolha do período de descanso anual já previsto na legislação trabalhista.

“A medida justifica-se pelo fato de que a pessoa com deficiência ou cujo familiar tenha deficiência costuma necessitar de um prazo maior para planejar o tempo destinado às férias”, afirmou o autor do projeto, senador Paulo Paim (PT-RS).

A iniciativa tramitará na Câmara em conjunto com o Projeto de Lei 4594/20, do deputado Ney Leprevost (União-PR), que assegura aos pais ou responsáveis por pessoas com deficiência período de férias coincidente com o das férias escolares.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Artigo Original: Agência Câmara Notícias

Total
0
Shares
Anterior
Entender Direito: especialistas debatem sobre processos estruturais
Universo do Seguro

Entender Direito: especialistas debatem sobre processos estruturais

​A nova edição do podcast Entender Direito contou com a participação do advogado

Próximo
É facultado ao juiz analisar a necessidade de prévio pedido administrativo para a cobrança judicial do DPVAT

É facultado ao juiz analisar a necessidade de prévio pedido administrativo para a cobrança judicial do DPVAT

​A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reafirmou que é necessário

Veja também