Vendas no Varejo sobem 0,3% em junho, indica o ICVA

Vendas no Varejo sobem 0,3% em junho, indica o ICVA / Foto: Sam Lion / Pexels
Foto: Sam Lion / Pexels

Crescimento ocorre após dois meses de baixa; O macrossetor de Bens Não Duráveis conseguiu compensar as quedas de Serviços e Bens Duráveis

As vendas no Varejo em junho de 2023 cresceram 0,3%, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês de 2022, aponta o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o crescimento foi de 1,8%.

De forma geral, o mês foi beneficiado por efeitos de calendário. Ao comparar com o mesmo mês do ano passado, junho teve uma sexta-feira a mais e uma quarta-feira a menos em 2023. Tradicionalmente, a sexta-feira é um dia mais forte para o Varejo.

O macrossetor de Bens Não Duráveis foi o único que cresceu no mês, com desempenho de 3,8%. Postos de Combustíveis e Supermercados e Hipermercados estão entre os segmentos que mais colaboraram para o resultado.

O macrossetor de Bens Duráveis e Semiduráveis caiu 4,6%. O segmento de Materiais para Construção Esportivos foi o que apresentou a maior queda do macrossetor, seguido de Vestuário e Artigos Esportivos.

O macrossetor de Serviços também teve queda, de 2,2%. Neste caso, o segmento que mais contribuiu para o resultado negativo foi Bares e Restaurantes.

“Após dois meses de queda do Varejo, o macrossetor de Bens Não Duráveis ajudou a impulsionar o resultado para um patamar positivo. Porém, é importante ressaltar que o macrossetor de Bens Duráveis e Semiduráveis, o principal responsável pelas quedas de abril e maio, ainda apresentou uma retração de 4,6%”, afirma Carlos Alves, vice-presidente de Produtos e Tecnologia da Cielo. “Um dos setores que mais contribuíram para essa queda foi o de Materiais de Construção, que, após crescimentos mensais acentuados durante o período de quarentena, entre 2020 e 2021, tem apresentado resultados negativos consecutivos nos últimos dois anos”.

Inflação

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pelo IBGE, apontou queda de 0,08% em junho. O índice acumulado nos últimos 12 meses ficou em 3,16%. Segundo o IBGE, a queda teve influência do recuo do grupo de alimentação e de transportes. O índice teve sua menor variação para o mês de junho desde 2017.

Ao ponderar o IPCA pelos setores e pesos do ICVA, a inflação do varejo ampliado acumulada em 12 meses em junho foi de 1,5%, com desaceleração em relação ao índice registrado no mês anterior.

Regiões

De acordo com o ICVA deflacionado e com ajuste de calendário, os resultados de cada região em relação a junho de 2022 foram: Nordeste (+3,1%), Norte (-0,4 %), Sudeste (-1,0%), Sul (-1,4%) e Centro-Oeste (-2,7%).

Pelo ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação – e com ajuste de calendário, os resultados de cada região foram: Nordeste (+2,7%), Sudeste (+1,3%), Norte (-0,5%), Sul (-0,6%) e Centro Oeste (-2,0%).

Vendas no segundo trimestre de 2023

As vendas no 2º trimestre de 2023 caíram 1,8%, já descontada a inflação, em relação ao mesmo trimestre de 2022.

Em termos nominais, houve crescimento: 1,0%.

Faturamento do Varejo no semestre

Já descontada a inflação, as vendas no 1º semestre de 2023 não apresentaram variação em relação ao mesmo semestre em 2022.

Em termos nominais, o faturamento do Varejo subiu 5,1%.

“No acumulado do primeiro semestre de 2023, sem considerar a inflação, o Varejo não cresceu. O único macrossetor que apresentou crescimento real foi o de Bens Não Duráveis. É possível que isso esteja relacionado com um arrefecimento da inflação nos principais setores que compõem o macrossetor, como o de Supermercados e Hipermercados (2,9% nos últimos 12 meses). Quando comparamos com o setor de Bares e Restaurantes, dentro do macrossetor de Serviços, que apresentou queda neste semestre, a inflação acumulada está em 7,1%”, afirma Carlos Alves.

O ICVA 

O Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) acompanha mensalmente a evolução do varejo brasileiro, de acordo com as vendas realizadas em 18 setores mapeados pela Cielo, desde pequenos lojistas a grandes varejistas. Eles respondem por mais de 1 milhão de varejistas credenciados à companhia. O peso de cada setor no resultado geral do indicador é definido pelo seu desempenho no mês.

O ICVA foi desenvolvido pela área de Inteligência de Mercado da Cielo com o objetivo de oferecer mensalmente uma fotografia do comércio varejista do país a partir de informações reais.

Como é calculado

A unidade de Inteligência de Mercado da Cielo desenvolveu modelos matemáticos e estatísticos que foram aplicados à base da companhia com o objetivo de isolar os efeitos do comportamento competitivo do mercado de credenciamento – como a variação de market share – e os da substituição de cheque e dinheiro no consumo. Dessa forma, o indicador não reflete somente a atividade do comércio pelo movimento com cartões, mas, sim, a real dinâmica de consumo no ponto de venda.

Esse índice não é de forma alguma a prévia dos resultados da Cielo, que é impactado por uma série de outras alavancas, tanto de receitas quanto de custos e despesas.

Entenda o Índice 

  • ICVA Nominal – Indica o crescimento da receita nominal de vendas no varejo ampliado do período, comparando com o mesmo período do ano anterior. Reflete o que o varejista de fato observa nas suas vendas.
  • ICVA Deflacionado – ICVA Nominal descontado da inflação. Para isso, é utilizado um deflator que é calculado a partir do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pelo IBGE, ajustado ao mix e pesos dos setores contidos no ICVA. Reflete o crescimento real do varejo, sem a contribuição do aumento de preços.
  • ICVA Nominal/Deflacionado com ajuste calendário – ICVA sem os efeitos de calendário que impactam determinado mês/período, quando comparado com o mesmo mês/período do ano anterior. Reflete como está o ritmo do crescimento, permitindo observar acelerações e desacelerações do índice.
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Clube de Vantagens da Bradesco Seguros ganha novo layout com foco na experiência do cliente
Clube de Vantagens da Bradesco Seguros ganha novo layout com foco na experiência do cliente / Foto: Gary Barnes / Pexels

Clube de Vantagens da Bradesco Seguros ganha novo layout com foco na experiência do cliente

Novidade no portal de benefícios do Grupo proporciona uma usabilidade mais

Próximo
Serviços de assistência 24 horas é um dos principais benefícios do seguro residencial HDI em Casa
Serviços de assistência 24 horas é um dos principais benefícios do seguro residencial HDI em Casa / Foto: William Fortunato / Pexels

Serviços de assistência 24 horas é um dos principais benefícios do seguro residencial HDI em Casa

HDI possui inúmeros serviços assistenciais para que o segurado possa montar o

Veja também