Grupo Bradesco Seguros

Ansiedade e depressão: quase um quinto das mulheres recebem o diagnóstico, aponta pesquisa

Ansiedade e depressão: quase um quinto das mulheres recebem o diagnóstico, aponta pesquisa / Foto: Samantha Garrote / Pexels
Foto: Samantha Garrote / Pexels

Número é considerado alto, mas o estudo indica que elas estão buscando ajuda; Empresas podem ser aliadas neste processo

Uma pesquisa realizada pela healthtech 3778, que monitorou a saúde de colaboradoras de empresas parceiras, concluiu que 30% das mulheres possuem diagnóstico e/ou fazem tratamento para depressão e ansiedade. O estudo foi realizado por meio de um questionário auto preenchido por cerca de 16 mil mulheres e 7 mil homens, com idades entre 18 e 74 anos. A 3778 é especializada em saúde corporativa e análise de dados com auxílio de inteligência artificial.

Os dados apresentam números alarmantes sobre a saúde mental feminina. Ao menos 17% das entrevistadas apresentam sintomas de ansiedade, enquanto 13% foram diagnosticadas com depressão. “O número é considerado alto, mas indica que elas estão em busca de ajuda e apoio emocional. Elas tendem a procurar os serviços de saúde com mais frequência do que os homens. Esse passo é o mais importante na direção do bem-estar e da qualidade de vida, prevenindo desdobramentos mais graves”, afirma Gregório Rodrigues, médico de família especialista em ciência de dados em saúde da 3778.

É importante ressaltar que o Brasil é o país com mais casos de ansiedade no mundo; ao menos 9,3% da população geral sofre de ansiedade patológica, de acordo com o mapeamento mais recente da Organização Mundial de Saúde.

Os motivos para o desencadeamento da ansiedade e depressão entre as mulheres são diversos, como propensão genética e hormonal, vivência de traumas, e até mesmo a saúde física. Ainda de acordo com o levantamento da 3778, quando perguntadas sobre a quantidade de minutos de exercícios físicos realizados, 46% das entrevistadas responderam não se exercitar, enquanto 22% praticam entre 1 a 120 minutos por semana. Paralelamente, cerca de 34% das mulheres que responderam a pesquisa estão com sobrepeso e 23%, com obesidade.

A relação da saúde mental com o trabalho 

Outro motivo que também se deve levar em consideração, quando se trata de saúde mental, é o trabalho. Para se ter uma ideia, 78% dos afastamentos médicos de 2021/22 foram por transtornos mentais, segundo uma pesquisa levantada pela 3778. Isso porque, é difícil às vezes separar a vida profissional com a pessoal, e muitas pessoas acabam desenvolvendo ansiedade e depressão por motivos ligados aos seus empregos, como por exemplo: trabalhar em um ambiente opressivo, passar por situações desconfortáveis, não receber nenhum tipo de auxílio, entre outros motivos.

Para a especialista Thamyris André, gerente operacional da 3778, as empresas podem ser grandes aliadas neste processo de cuidado à saúde das mulheres. “É importante que as organizações e principalmente a liderança, estejam sempre atentas e busquem soluções para ajudar e evitar o adoecimento dos colaboradores. A 3778 vem contribuindo em muitos negócios com a implementação e/ou gestão de linhas de cuidado para melhorar esses indicadores, reduzindo custos de afastamentos, melhorando o bem-estar e produtividade dos trabalhadores”, conclui Thamyris.

Total
0
Shares
Anterior
Gallagher Brasil patrocina o Torneio de Golfe do Instituto Ronald McDonald em prol da luta contra o câncer infantojuvenil
Gallagher Brasil patrocina o Torneio de Golfe do Instituto Ronald McDonald em prol da luta contra o câncer infantojuvenil / Foto: Pixabay

Gallagher Brasil patrocina o Torneio de Golfe do Instituto Ronald McDonald em prol da luta contra o câncer infantojuvenil

Corretora também será responsável pelo seguro do evento, que nas últimas edições

Próximo
O desenvolvimento do pensamento estratégico pelos membros do Conselho de Administração
Marcos Leandro Pereira, Advogado, Conselheiro e Mentor, além de Sócio-fundador da Pereira, Dabul Advogados e da RCA Governança & Sucessão / Foto: Divulgação

O desenvolvimento do pensamento estratégico pelos membros do Conselho de Administração

Confira artigo de Marcos Leandro Pereira, Advogado, Conselheiro e Mentor, além

Veja também