Como otimizar o perfil no LinkedIn para ser contratado na área de investimentos

Fabio Louzada, economista, analista CNPI e fundador da Eu me banco / Foto: Divulgação
Fabio Louzada, economista, analista CNPI e fundador da Eu me banco / Foto: Divulgação

Veja abaixo artigo escrito por Fabio Louzada, economista, analista CNPI e fundador da Eu me banco

O LinkedIn se tornou uma ferramenta essencial para profissionais que desejam impulsionar suas carreiras e encontrar novas oportunidades de trabalho. Na área de investimentos, a concorrência é acirrada e a habilidade de se destacar é fundamental. Otimizar o perfil no LinkedIn pode ser um diferencial para os profissionais que querem passar a atuar no mercado. Mas como aproveitar ao máximo essa plataforma e atrair a atenção de recrutadores e líderes da área? Abaixo eu listo sete passos de como tornar o seu perfil mais atrativo para conseguir uma entrevista e conquistar a vaga tão esperada na área.

Passo 1: Atenção com o título no LinkedIn

O título do seu perfil é a primeira informação que os recrutadores veem ao visitar seu perfil. Ao incluir, por exemplo, a certificação CEA, você demonstra de imediato sua qualificação e habilidades. Essa informação elimina um filtro logo de cara, aumentando suas chances de ser considerado prioridade para oportunidades no mercado de investimentos. Isso não é algo apenas estético, mas é parte da estratégia da busca pela vaga, ainda mais se a certificação for considerada obrigatória.

Não recomendo inserir a certificação CPA-10 ou CPA-20, pois são certificações que têm peso menor. Além disso, o espaço do título não permite incluir números. Nas ferramentas de recrutamento, o que aparece em primeiro lugar é o nome e ter a certificação junto é uma ótima estratégia para se destacar. Cuidado em não se alongar. Seja sucinto no título. Não tem porque, por exemplo, escrever o seu cargo, já que isso já constará na parte de baixo na experiência profissional. Inserir “profissional do mercado financeiro especialista em gestão de carteiras” é melhor do que escrever o cargo atual como “gerente de relacionamento”, por exemplo. Quanto menos perder tempo sendo redundante, maior a chance de o recrutador se interessar mais pelo seu perfil.

Passo 2: Utilize o campo “sobre” para contar sua história profissional conectada com o mundo dos investimentos

No campo “sobre”, aproveite os mais de 2.000 caracteres para descrever sua trajetória profissional de forma concisa e relacionada à área de investimentos. Destaque suas experiências comerciais, atividades acadêmicas e profissionais que validem sua aptidão para a área. Inclua palavras-chave comuns nas descrições de vagas para investimentos, como clientes, carteira, prospecção, finanças, vendas, entre outras.

A quem já é bancário e gerenciou uma carteira, é interessante apresentar campanhas e reconhecimentos obtidos como forma de mostrar ser alta performance. São mais de 2.000 caracteres em que a pessoa pode contar um pouco do seu passado, presente e como ter tração rápida em uma oportunidade que lhe seja dada através da descrição de competências técnicas e skills pessoais.

Então, acrescente, se tem uma especialização, suas áreas de atuação, cursos na área, premiações, além de inglês avançado. É um ponto bacana, já que algumas vagas, por exemplo, podem exigir candidatos para atuação em bancos ou corretoras estrangeiras, por exemplo.

Evite ser redundante e perder um espaço importante para se vender colocando informações da experiência profissional que já estarão descritas na parte de baixo. Assim, terá ainda mais competitividade perante os concorrentes.

Passo 3: Preencha com atenção a experiência profissional

A correta descrição de suas experiências profissionais é essencial para transmitir sua história com clareza aos visitantes do seu perfil. Certifique-se de detalhar suas responsabilidades e conquistas relevantes para a área de investimentos. Isso auxilia na compreensão de suas habilidades e na capacidade de atrair a atenção dos recrutadores.

Várias pessoas, ao inserir o nome da empresa na descrição de experiência profissional, não esperam carregar o nome da empresa e aparecer o logo da companhia. Esse é um exemplo de um erro que as pessoas cometem bastante e que tornam o perfil mais frágil. Se um recrutador está buscando alguém com uma experiência naquela instituição pode não encontrar seu perfil atrelado à empresa, pois estará fora do filtro.

Coloque com detalhes o segmento em que atua. Não adianta você ter uma carteira e não souber falar das características dessa carteira. Se você se destaca, por exemplo, na captação de recursos é um forte indício de que tem capacitação para migrar de área. Ao citar premiações, inclua um parâmetro. Por exemplo: fiquei em terceiro lugar entre 50 colegas do estado ou da região. Esse tipo de informação mostra que você é consistente e competitivo e está performando em alto nível.

Passo 4: Indique suas preferências de atuação e interesse

No campo “tenho interesse em”, inclua as localidades em que você tem disponibilidade para atuar presencialmente ou de forma híbrida. Ao configurar essas preferências, o LinkedIn poderá exibir oportunidades vagas não apenas na sua região atual, ampliando suas chances de encontrar uma posição ideal. Hoje, sendo bem franco, há pouquíssimas vagas na área de investimentos totalmente remotas. Pode até inserir que está disposto, mas não é comum aparecer como antes, no período da pandemia.

Além disso,especifique os cargos de maior interesse, como especialista em investimentos, assessor de investimentos, analista de investimentos e gerente de relacionamento. Evite citar cargos amplos, como “bancário”, que abrange diversos cargos e não é um filtro focado no que você quer. Pense sempre no cargo que quer almejar. Não cite funções que já ocupou no passado. Informe ao Linkedin as vagas de acordo com o perfil que está buscando.

Na opção “data de início”, insira que está disponível “imediatamente”, afinal você não tem como pensar que o mercado vai esperar por você diante de tantos concorrentes.

Passo 5: Destaque suas competências

Utilize o campo “Adicionar seção do perfil” ou role o perfil para baixo e adicione competências relevantes para a área de investimentos. Insira até 50 competências técnicas, habilidades pessoais e comportamentais que o representem. Essas informações são importantes para a busca orgânica realizada por recrutadores e ajudam a destacar seu perfil no LinkedIn Recruiter. Pesquise as principais tags utilizadas em anúncios de vagas e as competências comuns aos seus concorrentes para garantir uma descrição abrangente.

Procure ver quais são as competências que os recrutadores pedem nas vagas da área de investimentos nas empresas que você gostaria de trabalhar para auxiliar na hora de incluir as suas competências. Essas cinquenta competências podem ser tanto soft skills como questões de conhecimento técnico. Então, você pode incluir tanto “renda fixa” como “criatividade”, por exemplo. O primeiro é um conhecimento técnico e o segundo uma característica mais comportamental.

Passo 6: Expanda sua rede de contatos no mercado financeiro

Aumente a sua rede adicionando profissionais do mercado financeiro, não se limitando às grandes empresas como os grandes bancos e corretoras. Quanto mais o profissional abre a mente para atuar em outras players, mais o Linkedin o auxilia a conhecer o mercado a fundo.

Adicione pessoas de diferentes casas, cargos e regiões. Ao fazer isso, você amplia seu conhecimento sobre o mercado e aumenta as chances de o LinkedIn sugerir seu perfil a outros colegas do setor.

Essa sinalização dada, somada ao fato de o profissional interagir em posts ligados ao mercado, produzir conteúdos seja no feed (menos densos, mais perecíveis) ou artigos (conteúdos mais densos e ótimos para demonstrar conhecimento diferenciado sobre assuntos específicos), fazem uma enorme diferença para que seja criada uma saudável bolha em que o usuário vai ser alimentado com conteúdos e rodeado de perfis com interesses em comum.

Quando se gera um conteúdo como um artigo mais denso, ele aparece para as pessoas e fica no histórico do perfil. Um conteúdo como esse demonstra muito conhecimento e faz com que você ganhe autoridade naquele assunto. O mercado, sem dúvida, gosta muito dessa atitude. E também é algo que chama a atenção do recrutador. Gerar conteúdo faz com que sua rede cresça muito mais rapidamente também.

Passo 7: Não limite sua busca apenas às candidaturas na plataforma

Observo que os melhores resultados dos nossos alunos vêm quando eles de forma inteligente abordam os decisores, líderes das áreas de investimentos para se apresentar, se conectar e estimular que sejam compartilhadas informações relevantes para o seu processo de busca.

Estima-se que mais da metade das vagas criadas no mercado financeiro não sejam publicadas, mas trabalhadas no processo de hunting, em que a empresa busca o talento através de suas ferramentas. Quando o profissional que busca oportunidades aborda um líder de área, ele já pode ir direto na fonte que está gerenciando as vagas, tendo muitas vezes a possibilidade de ser ouvido, notado, entrevistado e contratado. Faça isso em vez de apenas se candidatar a uma vaga que têm milhares de pessoas concorrendo.

Se está buscando por uma vaga em Campinas, por exemplo, busque pelo nome da instituição e acrescente o nome da cidade. Com isso, vai começar a aparecer pessoas que trabalham no local. Pesquise quem são os possíveis líderes e decisores e tenha a iniciativa de mandar uma mensagem e se apresentar. Você não pode aceitar passivamente que outra pessoa venha e pegue uma vaga na sua região porque você não abordou essa pessoa. Não se limite apenas a se candidatar a uma vaga, que têm tantas pessoas concorrendo. É um caminho muito mais árduo. Poucas pessoas que são certificadas e entendem de investimentos na prática têm habilidades relacionais. Então, vá direto na fonte, se apresente e não saia simplesmente mandando currículo.

*Fabio Louzada é economista, cofundador e CEO da Eu me banco. Possui graduação em Gestão Financeira pela FGV, pós-graduação em Finanças, Investimentos e Banking e em Liderança, Inovação e Gestão pela PUC-RS. Foi membro da Comissão de Educação da Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros e Industry Mentor do CFA Society. Louzada tornou-se o profissional com o maior número de certificações nacionais em investimentos com menos de 30 anos. Entre outros selos, é planejador financeiro CFP®️, gestor de investimentos CGA e analista de investimentos CNPI. Além disso, no cenário internacional, é Candidato CFA Level II. Durante 11 anos, foi assessor de investimentos nas principais +instituições do país na área de alta renda, com passagens pelo Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité. Em janeiro de 2022, lançou no Brasil e em Portugal o livro “Manual do investidor leigo – Conheça as regras do jogo pelo olhar de um especialista”, publicado pela Lisbon Press. Siga no Instagram @fabiolouzada_ e no YouTube @FabioLouzada.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
O que atletas olímpicos ensinam para quem quer ser um empreendedor campeão?
Jhonny Martins, vice-presidente do Serac / Foto: Divulgação

O que atletas olímpicos ensinam para quem quer ser um empreendedor campeão?

Vice-presidente do Serac explica porque um esportista profissional pode ensinar

Próximo
Detran-SP alerta: agosto é o mês de licenciar veículos com placas terminadas em 3 e 4
Detran-SP alerta: agosto é o mês de licenciar veículos com placas terminadas em 3 e 4 / Foto: Life Of Pix / Pexels

Detran-SP alerta: agosto é o mês de licenciar veículos com placas terminadas em 3 e 4

Proprietários dos veículos registrados no Estado de São Paulo devem regularizar

Veja também