DeepFake não atinge empresas que usam biometria de voz

Marcelo Peixoto, CEO da Minds Digital / Foto: Phillip Zelante / Divulgação
Marcelo Peixoto, CEO da Minds Digital / Foto: Phillip Zelante / Divulgação

Segundo pesquisa, 1 a cada 4 pessoas já sofreu golpe de deepfake por voz

A McAfee, uma provedora global de proteção online, conduziu uma pesquisa com 7.054 pessoas, em sete países, e descobriu que uma a cada quatro pessoas já foi vítima de algum tipo de golpe de voz realizado com utilização de Inteligência Artificial (IA), sendo que 1 em cada 10 indivíduos foi alvo pessoalmente e 15% relataram que conheciam alguém que também sofreu a farsa. Além disso, 77% das vítimas afirmaram ter perdido dinheiro como resultado da fraude.

Assim como a inteligência artificial permite criar deepfakes de voz, técnica que é capaz de imitar a voz de qualquer pessoa, felizmente, essa tecnologia também pode ser utilizada para combatê-los. Contribuindo cada vez mais com o cenário antifraude, a Minds Digital, Voice IDTech pioneira em biometria de voz no mercado brasileiro, já preveniu mais de R$50 milhões em fraudes utilizando seus algoritmos de IA.

“A biometria de voz é uma abordagem que se baseia nas características únicas da voz de cada indivíduo para autenticação e identificação. Entre os elementos que são analisados estão a frequência, o tom, o ritmo e a entonação, construindo um perfil vocal exclusivo. Essas características biométricas são difíceis de serem replicadas por deepfakes de voz e, com o apoio de técnicas anti-spoofing, a autenticação também consegue identificar quando se trata de uma voz artificial”, explica o CEO da Minds Digital, Marcelo Peixoto.

A biometria de voz é um recurso novo, no Brasil, que permite autenticar a identidade de uma pessoa por meio da fala e é, no mínimo, 4 vezes mais rápida do que uma confirmação tradicional, que solicita diversas informações do cliente para validar com o registro. Timbre da voz, padrões da fala, a forma de vocalização e demais características vocais são transformadas em uma voice print para a validação e autenticação da identidade de um indivíduo ou cliente.

“A crescente ameaça dos deepfakes exige respostas eficazes e inovadoras. Por isso, combinar as tecnologias, como acontece com a biometria de voz, surge como uma solução promissora para combater e prevenir fraudes. Ao contrário de alguns outros tipos de autenticação, a biometria de voz pode ser utilizada em tempo real, o que adiciona uma camada extra de segurança, impedindo tentativas de falsificação durante uma conversa ao vivo. Na prática, instituições financeiras podem adotar essa tecnologia para autorizar transações e evitar golpes baseados em deepfakes de voz”, garante o CEO da Minds Digital.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prev
Alta da venda de veículos novos reaquece mercado de seguro automotivo
Quanto custa o seguro para os carros líderes de vendas em 2023? / Foto: Torsten Dettlaff / Pexels

Alta da venda de veículos novos reaquece mercado de seguro automotivo

Emplacamento de veículos cresce 14% no primeiro semestre e impulsiona a

Next
Saiba o que é fibrose cística, condição genética rara conhecida como a “doença do beijo salgado”
Saiba o que é fibrose cística, condição genética rara conhecida como a “doença do beijo salgado" / Foto: Prostooleh / Freepik

Saiba o que é fibrose cística, condição genética rara conhecida como a “doença do beijo salgado”

Estima-se que 70 mil pessoas no mundo vivem com a condição, no Brasil há cerca

You May Also Like