Diversidade nas empresas: lucratividade, criatividade e inovação

Diversidade nas empresas: lucratividade, criatividade e inovação

Genebra Seguros institui Comitê de Diversidade, Equidade e Inclusão com foco em agregar valor ao dia a dia da empresa

Tem crescido a busca pela diversidade e inclusão no mundo corporativo nos últimos anos. Isso porque as empresas têm percebido que ambientes mais diversos são propensos ao desenvolvimento da inovação. Também há melhora no clima organizacional, o que contribui para o aumento da produtividade e da satisfação dos colaboradores e dos clientes. 

Diversidade melhora o desempenho financeiro

É o que demonstra a segunda edição da Pesquisa Benchmarking: Panorama das Estratégias de Diversidade no Brasil 2022 e tendências para 2023. Segundo o levantamento, 81% das organizações destinam recursos para ações de diversidade e inclusão. Em 2020, o índice era de 67%.

Além disso, outra perspectiva relevante para promoção da inclusão de grupos minoritários em uma empresa é o aumento da lucratividade. De acordo com um relatório da McKinsey & Company, de 2020, empresas com diversidade étnica e cultural nas equipes de liderança possuem desempenho financeiro 36% superior ao de organizações menos diversas.

Contar com a diversidade também contribui com a expansão da criatividade para a resolução de problemas. Além disso, também incrementa a reputação da empresa diante de parceiros e clientes.

O tema é tão relevante, que a Organização das Nações Unidas (ONU) incluiu as questões relacionadas à equidade de gênero entre os principais Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS). De acordo com esses princípios, a sociedade precisa acabar com todas as formas de discriminação contra as mulheres e meninas de toda parte do planeta. Outro aspecto engloba a eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres nas esferas públicas e privadas, além de outras práticas nocivas. O guia também indica a necessidade da promoção da responsabilidade compartilhada dentro do lar e da família. Também é recomendada a igualdade de oportunidades para liderança feminina em todos os ambientes, sejam eles políticos, públicos ou econômicos.

Outro item que compõe os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável da ONU visa promover a redução das desigualdades através do empoderamento e da promoção da inclusão de todos, independente de idade, gênero, deficiência, raça, etnia, origem, religião ou condição econômica, por exemplo. 

Diversidade no setor de seguros

No setor de seguros, especificamente, o Instituto pela Diversidade e Inclusão no Setor de Seguros (Idis) define cinco pilares para transformar vidas e empresas, que são: Gênero, LGBTQIA+, Gerações, Etnia e Pessoas com Deficiência. A entidade destaca, entretanto, que existem muitos outros vieses para se trabalhar enquanto sociedade e mercado de trabalho.

Contar com capital humano diverso também auxilia no relacionamento com o consumidor moderno. Mais informado e empoderado, o público leva em consideração a reputação e as práticas adotadas pelas empresas das quais consome na hora de decidir se vai adquirir produtos ou serviços de determinada marca.

Atenta a este movimento, a Genebra Seguros possui um comitê para trabalhar as questões de diversidade, equidade e inclusão. “Sempre procuramos desenvolver uma visão 360º para adotar as práticas mais modernas de mercado em nossa operação. Por isso, contamos com uma política voltada para a diversidade e a inclusão de grupos minorizados em todos os departamentos da Genebra. Isso vai desde a adoção de políticas mais inclusivas para o recrutamento de pessoas até a realização de treinamentos e a participação em eventos relacionados com essa temática”, comenta Nina Teixeira, executiva da Genebra Seguros. “Acreditamos que todos podem ajudar e somar forças para a construção de posicionamentos diversos”, revela.

Clima organizacional

Neste sentido, a adoção de práticas mais inclusivas para todos auxilia na criação de um ambiente de trabalho mais colaborativo e solidário. “Percebemos o quanto isso auxilia no andamento de nossas missões. Com um time valorizado e respeitado, conseguimos atingir os resultados empresariais de modo sustentável e retemos os melhores talentos em nossa organização”, analisa Cris. “Os benefícios vão além dos resultados financeiros, pois percebemos o quanto o estímulo a um ambiente mais inclusivo aperfeiçoa todos os aspectos relacionados ao clima organizacional e se reflete na produtividade e até mesmo na saúde e no bem-estar do nosso time”, completa.

Também é relevante que as empresas pensem na acessibilidade de seus espaços e escritórios para bem receber Pessoas com Deficiência e Reabilitadas. Cabe destacar, ainda, que a Lei de Cotas determina que empresas com mais de 100 funcionários devem possuir de 2% a 5% do time composto por pessoas deste grupo.

“Enxergamos essa questão como uma oportunidade para agregar valor no dia a dia de nossa empresa. Unir pessoas de distintas origens e com diferentes visões de mundo está em linha com nosso objetivo de promover soluções adequadas às necessidades de nossos clientes, que desejam ter tranquilidade e segurança na hora de transitar com seus veículos, desfrutar de suas residências ou executar suas atividades profissionais, fazer aplicações financeiras e fomentar seus investimentos, além de proteger aquilo que mais importa: suas vidas e suas famílias”, finaliza Nina.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Comunicado da Genebra Seguros sobre Declarações na Imprensa
Comunicado da Genebra Seguros sobre Declarações na Imprensa

Comunicado da Genebra Seguros sobre Declarações na Imprensa

Próximo
Obras paralisadas: desafio permanente e bilhões em perdas de recursos públicos
Obras paralisadas: desafio permanente e bilhões em perdas de recursos públicos

Obras paralisadas: desafio permanente e bilhões em perdas de recursos públicos

Veja também