La Niña pode impactar o agronegócio brasileiro em 2024

La Niña pode impactar o agronegócio brasileiro em 2024/ Foto: Unsplash
Foto: Unsplash

Projeções indicam início do fenômeno para junho

O National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA), uma autoridade climática global, recentemente publicou projeções indicando que o fenômeno climático La Niña terá início em junho de 2024. Essa previsão segue o atual período de pico do El Niño, que deverá terminar em março, seguido de um período de neutralidade climática em abril.

O La Niña é conhecido pelo resfriamento anômalo das águas do Oceano Pacífico na região equatorial, um padrão oposto ao observado durante o El Niño. As consequências desse fenômeno para o Brasil são significativas, com previsões de chuvas mais intensas nas regiões Norte e Nordeste, enquanto as regiões Centro-Sul, especialmente o Sul, poderão enfrentar condições mais secas.

As mudanças climáticas podem ter impactos graves na agricultura brasileira. As regiões do sul, que já são propensas a altas temperaturas, podem enfrentar danos em suas plantações. Romário Alves, fundador e CEO da Sonhagro, uma franquia especializada em crédito rural que atua em 20 estados brasileiros, declara: “As previsões do La Niña destacam a necessidade de estratégias adaptativas no agronegócio. A resiliência e a inovação serão fundamentais para minimizar os efeitos negativos nas regiões mais afetadas”.

Além dos desafios diretos enfrentados pelos agricultores, também há preocupações em cadeia. A expectativa de menor produtividade das safras pode afetar o setor de insumos agrícolas, com uma provável queda nas receitas devido à demanda reduzida dos produtores. Isso, por sua vez, pode impactar o mercado de commodities, causando reflexos nos custos para frigoríficos e na indústria alimentícia.

A perspectiva desses desafios requer uma atenção cuidadosa e um planejamento financeiro por parte dos produtores, os quais podem contar com a assistência da Sonhagro para facilitar o acesso a linhas de crédito com juros atraentes. Outro aspecto relevante é o planejamento estratégico, a adoção de técnicas de cultivo mais resilientes às variações climáticas, a diversificação das culturas e a utilização de tecnologias inovadoras, as quais podem ser algumas das soluções para enfrentar o período desafiador que se aproxima.

O impacto do fenômeno La Niña no setor agrícola do Brasil será um tema a ser constantemente monitorado nos próximos meses, à medida que o país se prepara para enfrentar mais esse desafio climático.

Sobre a Sonhagro:

Especializada em soluções completas de crédito rural, a rede visa facilitar os processos burocráticos para os produtores, atuando no gerenciamento de suas negociações e na execução dos projetos técnicos que os bancos exigem.  Fazendo a sua história há 10 anos, com 60 unidades que facilitam o financiamento do crédito rural para os produtores de Norte a Sul do Brasil em 20 estados.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Em temporada de fortes chuvas, Porto Serviço disponibiliza prestadores de serviço para auxiliar população do Rio de Janeiro
Em temporada de fortes chuvas, Porto Serviço disponibiliza prestadores de serviço para auxiliar população do Rio de Janeiro

Em temporada de fortes chuvas, Porto Serviço disponibiliza prestadores de serviço para auxiliar população do Rio de Janeiro

Próximo
Lucro líquido das seguradoras cresceu 78% até outubro
Lucro líquido das seguradoras cresceu 78% até outubro / Foto: Divulgação / IRB(Re)

Lucro líquido das seguradoras cresceu 78% até outubro

Setor registrou lucro líquido de R$ 30,4 bilhões nos dez primeiros meses de

Veja também