Profissão Contábil está com os dias contados?

Profissão Contábil está com os dias contados? / Foto: Karolina Grabowska / Pexels
Foto: Karolina Grabowska / Pexels

A profissão contábil está entre as mais antigas profissões e de tempos em tempos volta a discussão que com o avanço da tecnologia os contadores e a profissão contábil vai acabar

Essa polêmica começou com um estudo publicado em 2013 da Oxford University que apontava que profissão contábil estaria, entre outras profissões, que vão ser extintas até 2025. Na verdade, esse estudo apontou sob um ponto de vista mais amplo que as atividades burocráticas realizadas manualmente nos escritórios contábeis deixarão de existir. Não só na atividade contábil, mas de forma geral e inteligente atividades repetitivas gradativamente estão sendo substituídas por sistemas eletrônicos, tecnologias mais avançadas e até por inteligência artificial.

Analisando obre outro prisma e o que este estudo não apresenta e se analisarmos, são as oportunidades que já sempre existiram, pois dependiam da aplicação da ciência e da inteligência dos profissionais bem preparados e que as tecnologias aprimoram  com oportunidade que estão a disposição bastam aplica-las . Se fizermos um pequeno esforço, hoje já podemos utilizar a contabilidade gerencial, por exemplo, que os profissionais podem oferecer a seus clientes só com as informações que já tem a disposição, através da análise dos números contábeis, propor, sugerir, investimentos, analisar custos, estoques, imobilizado.

Numa perspectiva mais ampla e num contexto mais corporativo, a ciência contábil está bastante conectada as tendências mundiais nas questões sociais, governança e do meio ambiente. Baseados em padrões éticos, sócio ambientais, de sustentabilidade, foram criadas padrões e normas internacionais denominaras ESG (enviroment, social, governance) que passaram a ser imperativos para demonstrar que empresas comprometidas, seguem esses padrões. Talvez um mercado ainda tímido para a maioria dos contadores, mas com certeza se multiplicará para empresas, em geral, e principalmente aquelas que fornecem para grandes empresas ou para o governo.

Falando de oportunidade  em um futuro próximo, um assunto recente que está sendo amplamente discutido, são as mudanças que a  reforma tributária pode trazer para os profissionais da contabilidade.

Temos visto a preocupação de diversos colegas com os diversos impactos, por exemplo, com a transição de 5 a 10 anos e por isso não tem dormido, vejam, toda mudança realmente terá impactos, primeiro uma reforma tributária se faz necessária há muito tempo, isso eh consenso e após aprovada a aplicação desta irá gerar diversas oportunidades seja na aplicação, treinamentos, consultorias, enfim quem se preparar, estudar profundamente as mudanças interpretar a legislação e aplicá-la da melhor forma saíra na frente e com isso fará as dessa reforma uma grande oportunidade.

Portanto, profissional contábil, estudante de contabilidade ou você que profusão está considerando ingressar, observou quantas oportunidades está maravilhosa profissão pode oferecer, basta ter uma mente aberta e abraça-las. Lembre-se que a tecnologia é, e sempre será  aliada; e como ciência a contabilidade estará sempre em evolução.

*Artigo de Reynaldo Lima Jr. – Contador, Empresário Contábil e Vice-Presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon).

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Allianz Commercial anuncia seu lançamento na América Latina
David Colmenares Spence, Regional Managing Director Allianz Commercial para a América Latina / Foto: Divulgação

Allianz Commercial anuncia seu lançamento na América Latina

Anúncio segue a estratégia global da Allianz no setor de seguros comerciais,

Próximo
Após semana agitada, dólar fecha em baixa e Ibovespa mantém 116 mil pontos
Luiz Felipe Bazzo, CEO do transferbank / Foto: Divulgação

Após semana agitada, dólar fecha em baixa e Ibovespa mantém 116 mil pontos

Confira análise de Luiz Felipe Bazzo, CEO do transferbank

Veja também