Setor de serviços cresce 8,3% em 2022 e alcança maior nível desde 2011, diz IBGE

O setor de serviços apresentou alta de 8,3% em dezembro na comparação com o mês anterior. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, o setor cresceu 3,1% frente a novembro, alcançou o patamar recorde desde 2011 e ficou 14,4% acima do nível pré-pandemia.

Para o economista Carlos Eduardo Oliveira, o desempenho positivo foi influenciado pela melhoria das condições sanitárias do Brasil em relação à Covid-19. “Com a redução do número de infectados com a Covid-19, as pessoas passaram a consumir cada vez mais os serviços, que foi o maior impactado, porque o setor de serviços tem muito na questão presencial”, explica.

O avanço do volume de serviços, de novembro para dezembro de 2022, foi acompanhado por quatro das cinco atividades investigadas, com destaque para transportes terrestres (alta de 18,4%) e o de transporte aéreo (28,6%).

Segundo o economista, o segmento de turismo impulsionou a expansão do transporte. “As viagens que tinham parado praticamente devido a pandemia, ocorreram de uma forma mais significativa nesse ano tanto para o transporte aéreo quanto o transporte rodoviário e também para a rede hoteleira. O turismo voltou a respirar e se fortalecer no ano de 2022”, aponta.

Os demais avanços vieram dos serviços profissionais administrativos e complementares (7,7%) e dos serviços prestados às famílias (24%), puxada por segmentos como restaurantes, hotéis, buffets e academias.

Para o empresário e dono do restaurante Olinda Comida Nordestina, localizado em Brasília (DF), Romão Olinda, os últimos dois anos foram marcados por crescimento do negócio. “Com o fim do ciclo da pandemia, as pessoas estavam com a necessidade de sair mais, então identificamos que houve uma migração do delivery para o presencial e observamos o aumento do faturamento e demanda”, diz.

No campo negativo, somente o segmento de outros serviços (-2,1%) retraiu, sob a influência de serviços financeiros auxiliares como corretoras de títulos e valores mobiliários, administração de bolsas e mercados, entre outros.

Expansão é registrada em 26 Unidades Federativas em 2022

No acumulado do ano, a alta no volume de serviços no Brasil foi acompanhada por 26 Unidades da Federação (UF). Os destaques são para São Paulo (9,7%), Minas Gerais (11,2%), Rio de Janeiro (4%), Rio Grande do Sul (11,3%), Pernambuco (11,2%), Paraná (4,4%) e Mato Grosso (13,8%). Apenas o Distrito Federal (-1,6%) fechou o ano em queda.

Já na passagem de novembro para dezembro houve altas em 22 das 27 UFs, com a principal influência do Rio de Janeiro (5%), seguido por São Paulo (0,8%), Minas Gerais (4,6%) e Distrito Federal (13,4%).

]]>
Via: Brasil61

Total
0
Shares
Prev
Governo evita comentar posição de Haddad sobre correção da tabela, abaixo da prometida

Governo evita comentar posição de Haddad sobre correção da tabela, abaixo da prometida

Membros do governo federal evitam comentar as recentes declarações do ministro

Next
Carnaval: confira quais são as cidades mais procuradas para quem vai curtir a folia

Carnaval: confira quais são as cidades mais procuradas para quem vai curtir a folia

Há quem diga que o ano só começa de verdade depois de fevereiro, porque o

Veja também