Vale a pena mentir para sua seguradora?

Vale a pena mentir para sua seguradora? / Foto: Sora Shimazaki / Pexels
Foto: Sora Shimazaki / Pexels

Pagar mais barato a apólice do seguro e ter compensações mais elevadas em sinistros são alguns dos motivos que levam as pessoas a ocultar informações das seguradoras

“Ah, vai é só uma pequena omissão, nem chega a ser uma mentira!” Pensamentos como esse podem permear a mente das pessoas quando estão cotando seus seguros para tentar pagar mais barato a apólice ou tentar obter compensações maiores em um sinistro. Mas nem sempre a consequência dessa omissão é conhecida ou considerada por quem decide fazê-la. Por isso, a BRZ Insurance, insurtech focada na comunidade brasileira e latina nos EUA, listou e explicará algumas razões para que esse “plano infalível” não siga adiante.

“Podemos dizer, sem nem conhecer o caso, que os prejuízos causados por dados imprecisos na hora de fazer um seguro são inegáveis, no entanto, muitas pessoas ainda insistem em agir dessa maneira”, informa Tiago Prado, CEO da BRZ Insurance. ”A omissão de dados como sinistros anteriores, estado real de conservação do bem segurado, ou um motorista frequente podem causar negação do seu reembolso e até cancelamento da apólice”, completa o executivo.

De acordo um levantamento de 2021 do Finder, aproximadamente 35,8 milhões de americanos (14% da população) admitem ter mentido para a seguradora de seu carro, um número 204,8% acima da pesquisa de 2020, que apontou que 11,8 milhões mentiram ao solicitar um seguro. A pesquisa ainda aponta que os homens são mais propensos a mentir no seguro de carro do que as mulheres. São, aproximadamente, 19,8% de homens (23,9 milhões de pessoas), contra 8,9% das mulheres (11,9 milhões). E os millennials são mais propensos a mentir do que a geração X ou os baby boomers. São 22,5% de millennials, contra 18,1% da geração X e 17,9% da geração Z. Já entre os baby boomers, o número cai para 4% dos baby boomers.

Quando a mentira vem à tona, as consequências podem variar em diferentes graus. Abaixo estão cinco consequências importantes:

  1. Prêmios mais altos: se a sua seguradora identificar informações inconsistentes na apólice, ela pode corrigir o valor do prêmio de acordo com as informações reais. Parece uma vantagem, mas isso gera uma cadeia de fatores que levam ao aumento das taxas – para todos os clientes. Dependendo da gravidade da omissão, o impacto nos pagamentos anuais pode ser grande. Erros desse tipo custam às seguradoras bilhões de dólares a cada ano, o que significa que as taxas em seu estado também aumentam.

  2. Pedido negado: seguradoras são empresas que trabalham com grandes riscos e por isso são muito criteriosas na hora de conceder compensações por sinistros. Ela tem o direito de negar o seu pedido caso não o considere verdadeiro.

  3. Cancelamento de apólice: a seguradora poderá cancelar a apólice do segurado caso descubra omissões de informações como registros de sinistros anteriores, histórico de seguro ou o valor do item segurado.

  4. Cobertura futura negada: nos EUA o histórico do segurado é o seu maior bem. Seja para adquirir um seguro ou comprar uma casa, o histórico influencia nos valores a serem pagos, nas chances de aprovação e no tamanhos dos juros.

  5. Questões legais: caso o segurado minta para a sua seguradora, o fato pode ser considerado fraude de seguros, algo muito sério nos Estados Unidos. Há uma grande chance do segurado ter que pagar sua seguradora ou receber uma multa, além de fraude ser crime passível de prisão.

Total
0
Shares
Anterior
CongreNorte reúne líderes do setor para impulsionar o desenvolvimento na região; Veja fotos do evento

CongreNorte reúne líderes do setor para impulsionar o desenvolvimento na região; Veja fotos do evento

Congresso dos Corretores de Seguros do Norte aconteceu entre os dias 28 e 29 de

Próximo
SulAmérica é copatrocinadora da Orquestra Sinfônica Brasileira
SulAmérica é copatrocinadora da Orquestra Sinfônica Brasileira / Foto: Divulgação

SulAmérica é copatrocinadora da Orquestra Sinfônica Brasileira

Concertos da temporada 2023 vai até dezembro em três locais do Rio de Janeiro

Veja também