Combate à Dengue em Condomínios: Estratégias para Prevenção

Foto: National Institute of Allergy and Infectious Diseases / Unsplash Images
Foto: National Institute of Allergy and Infectious Diseases / Unsplash Images

Na medida em que o Brasil enfrenta um aumento alarmante nos casos de dengue, especialista compartilha estratégias preventivas para condomínios

Na última segunda-feira (26), o Brasil registrou 920.427 casos prováveis de dengue, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Uma revelação alarmante acompanha esses números: não se descarta a possibilidade de uma epidemia de dengue. Locais como o Distrito Federal, Acre, Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, Santa Catarina e Rio de Janeiro já decretaram estado de emergência para a doença.

Aproximadamente 90% dos criadouros do mosquito transmissor da dengue se encontram em ambientes domésticos e edifícios, de acordo com a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA). Especificamente, os condomínios se destacam como pontos críticos para proliferação da dengue, pois se tratam de espaços com alta concentração de pessoas e locais úmidos, como jardins e piscinas.

Vendo que o aumento de casos se tornou uma realidade, Stefanya Lamounier, gerente operacional da Brasfort, empresa referência em manutenção e segurança de condomínios, aponta que administradores, síndicos, funcionários e moradores devem estar alertas para a prevenção à dengue no local que frequentam. “É de suma importância que todos estejam atentos ao cenário atual e, além de fazer campanhas de conscientização com os moradores para eliminarem os possíveis focos dentro dos apartamentos, cabe aos demais, como síndicos, instaurar vistorias periódicas e cuidar da limpeza de locais que possam ter acúmulo de água, como jardins, piscinas, lajes, calhas e fosso do elevador”, destaca a especialista da Brasfort.

Stefanya acrescenta que “com este cenário da dengue e outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, buscamos orientar os condomínios para a adoção de práticas preventivas eficazes. Por meio de uma gestão consciente e ações contínuas, nosso objetivo é criar um ambiente seguro para todos moradores e frequentadores”. Confira as principais estratégias recomendadas para áreas condominiais:

Papel do síndico na prevenção da dengue:

  • Gestão de Áreas Comuns e Privativas: liderar as iniciativas de cuidado e manutenção das áreas comuns, bem como promover a conscientização sobre a prevenção em áreas privativas;
  • Ações Anuais e Recorrentes: estabelecer um plano de ação contínuo, adaptando e intensificando as estratégias conforme a sazonalidade, especialmente nos meses de calor;
  • Vistorias e Limpeza Regular: implementar um cronograma regular de limpeza e higienização das áreas comuns, além de inspecionar o entorno do condomínio, inclusive terrenos baldios próximos, acionando as autoridades competentes quando necessário;
  • Escala de Vistoria para Colaboradores da Limpeza: criar uma rotina de vistoria diária para identificar e eliminar potenciais focos de água parada, sob a responsabilidade dos colaboradores da limpeza;
  • Educação e Comunicação: realizar campanhas educativas e usar meios de comunicação do condomínio para disseminar informações sobre prevenção da dengue.

Cuidados com as áreas comuns:

  • Instalar telas de nylon em ralos externos e canaletas para prevenir o acúmulo de água;
  • Aplicar sal ao redor dos ralos externos semanalmente e manter escoamentos desobstruídos;
  • Assegurar a limpeza de calhas, caixas de descarga e piscinas, seguindo protocolos de manutenção adequados;
  • Substituir água de pratos de plantas por areia grossa e manter recipientes descartáveis devidamente acondicionados para coleta.

Cuidados nas áreas privativas:

  • Orientar os moradores a adotar práticas como furar pratos de plantas ou preenchê-los com areia, além de garantirem que não haja água parada em esquadrias e sacadas;
  • Recomenda-se a limpeza regular das vasilhas de pets e a instalação de tampas abre e fecha nos ralos internos.

Prevenção de dengue em piscinas:

  • Tratamento Adequado da Água: piscinas sem tratamento apropriado podem se tornar criadouros do Aedes aegypti. É vital manter a água das piscinas tratada e em movimento.
  • Medidas para Eliminar Larvas: para águas que não serão consumidas, como em piscinas desativadas, é recomendado o uso de sal, detergente, sabão em pó, água sanitária ou cloro para eliminar possíveis larvas do mosquito.

Economia e eficiência na prevenção:

  • Adotar medidas preventivas não apenas contribui significativamente para o combate à dengue, mas também pode resultar em economia em serviços terceirizados de manutenção e limpeza.
  • Adotando essas estratégias, percebe-se que pequenas alterações na rotina e no ambiente podem ser decisivas na promoção da saúde e na prevenção do risco de dengue em toda a comunidade.
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prev
Newton Queiroz é eleito um dos CEOs mais inovadores de 2024
Newton Queiroz, CEO da Europ Assistance Brasil / Foto: Divulgação

Newton Queiroz é eleito um dos CEOs mais inovadores de 2024

Next
Instituto Sprinkler Brasil é o novo integrante da Coligação Internacional de Normas de Segurança Contra Incêndios
Instituto Sprinkler Brasil apoia realização de seminários de investigação e perícia em incêndios em Brasília / Foto: Freepik

Instituto Sprinkler Brasil é o novo integrante da Coligação Internacional de Normas de Segurança Contra Incêndios

Grupo é responsável ​​por pesquisar, desenvolver, divulgar e implementar

You May Also Like