Glossário de seguros: desvendando termos em planos de proteção para celular

Marco Garutti, CIO da Pitzi / Foto: Divulgação
Marco Garutti, CIO da Pitzi / Foto: Divulgação

Confira artigo de Marco Garutti, CIO da Pitzi

Quando o assunto é seguridade, cláusulas contratuais e vocabulários técnicos podem confundir muitos consumidores, dificultando o entendimento de todo o cenário e sua aplicabilidade em situações reais. No setor de seguros para celular, que segue mais em alta do que nunca, não é diferente.

Nesses casos, o contrato pode e deve ser formulado conforme a necessidade do cliente. Há diversas coberturas para suprir diferentes questões, como defeitos, tela, quebras, líquidos, roubo e perda, ou ainda a cobertura completa, que envolve todos esses aspectos.

Em um país onde um milhão de celulares foram roubados ou furtados somente em 2023, o que representa crescimento de 16,6% em relação aos registros de 2021, segundo o 17º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, aderir a um plano de proteção de smartphone não é má ideia. Sem contar os imprevistos relacionados a acidentes que podem ocorrer no meio do caminho, como por exemplo, um recurso touch screen que deixa de funcionar, falhas elétricas, displays danificados e assim por diante.

Pensando em simplificar a vida de quem se interessa por seguro para smartphone, desvendo a seguir os principais termos envolvidos no processo.

Cobertura: o coração do seguro

A cobertura é a garantia de proteção contra riscos previstos em relação ao aparelho. Por exemplo: se optar por uma cobertura total, seu celular estará protegido contra uma ampla gama de situações, como danos causados pela água, ou até mesmo roubo e furto. Por outro lado, uma cobertura básica pode envolver apenas quebras de tela e display. Nesse sentido, é fundamental ler atentamente os termos e condições contratuais, pois isso determina o que está protegido pelo seguro.

Taxa de uso: sua contribuição na hora da ocorrência

Basicamente, a taxa de uso se refere a quanto o consumidor deve desembolsar quando apresenta uma reclamação ou ocorrência (sinistro). Esse valor é fixado no contrato. Vamos imaginar uma taxa de uso hipotética de R$ 100 e custo de reparo de um smartphone na casa dos R$ 500. Nesse exemplo, o segurado precisaria pagar os R$ 100 quando acionar o seguro e o plano de proteção cobriria os R$ 400 restantes. A taxa de uso também serve como um incentivo para que os segurados sejam cuidadosos com seus dispositivos.

Sinistro: materialização do risco

Este nada mais é do que a ocorrência que está prevista no contrato, ou seja, é a materialização do risco que está coberto pelo seguro. Sempre que um evento ocorrer, a seguradora indenizará o segurado, respeitando o limite estabelecido contratualmente.

Dependendo do modelo de celular e do tipo de proteção, um plano de seguro pode representar uma economia de até 50% em casos de furto ou roubo ao longo de um ano. Algumas empresas ainda oferecem o parcelamento do valor total em até 12x, com acionamento ilimitado e, caso o aparelho seja sinistrado, um novo celular fornecido pode ter garantia de fábrica de até 12 meses.

Fato é que o seguro para celular oferece vantagens únicas aos consumidores. Por isso, compreender os termos de cobertura, a taxa de uso e o processo é fundamental para tomar decisões assertivas e escolher o melhor plano para atender às necessidades individuais.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Tendências para o mercado financeiro em 2024: entenda o Real Digital, as aplicações de IA e o Pix Automático
Tendências para o mercado financeiro em 2024: entenda o Real Digital, as aplicações de IA e o Pix Automático/ Foto: Freepik

Tendências para o mercado financeiro em 2024: entenda o Real Digital, as aplicações de IA e o Pix Automático

Tecnologias que permitem transações financeiras rápidas impactam diretamente as

Próximo
Clientes terão chance de arrematar Porsche 911 blindado em leilão organizado pela Copart
Clientes terão chance de arrematar Porsche 911 blindado em leilão organizado pela Copart/ Foto: Unsplash

Clientes terão chance de arrematar Porsche 911 blindado em leilão organizado pela Copart

Nos certames desta semana ainda estarão disponíveis automóveis de marcas

Veja também