Mudanças nas preferências alimentares dos consumidores impulsionam restaurantes para uma economia mais verde

Mudanças nas preferências alimentares dos consumidores impulsionam restaurantes para uma economia mais verde / Foto: Divulgação
Mudanças nas preferências alimentares dos consumidores impulsionam restaurantes para uma economia mais verde / Foto: Divulgação

Estabelecimentos gastronômicos têm se adaptado ao crescente interesse por opções vegetarianas e orgânicas, com foco na qualidade e na variedade, sob uma abordagem mais sustentável

Os restaurantes estão acompanhando uma mudança significativa nas preferências gastronômicas. Enquanto pratos tradicionais à base de carne ainda são populares, o cenário culinário está se voltando cada vez mais para o vegetarianismo. Uma pesquisa realizada pelo IBOPE indicou que 14% dos brasileiros, em 2018, se consideravam vegetarianos. Já um levantamento realizado pelo Ipec também sinalizou que 46% da população deixa de consumir carne pelo menos uma vez na semana, e por vontade própria.

Esse movimento é impulsionado pela preocupação ambiental e pela mudança nos hábitos alimentares. Como resultado, os empreendedores enfrentam o desafio de reformular seus cardápios para atrair um público diversificado e exigente.

“É preciso entender melhor o que esse público consome quando quer sair de casa. As pessoas têm dificuldade de entender que a comida à base de vegetais pode ser gostosa”, destaca Carolina Dini, idealizadora do projeto Cebola na Manteiga, uma iniciativa criada para ensinar e facilitar a vida de empreendedores que desejam ampliar seus cardápios com receitas vegetais, em entrevista ao podcast O Café e a Conta da Abrasel.

Além de oferecer alternativas vegetarianas, os estabelecimentos podem apostar em produtos orgânicos de produtores locais, aproveitando a sazonalidade dos alimentos para variar o cardápio. Carolina destaca ainda a importância das técnicas de preparo, que podem transformar vegetais em pratos deliciosos e atrativos.

“É possível trabalhar com uma couve-flor inteira, uma berinjela, fazê-la defumada, servir com um molho e colocar gordura ou acidez. O importante é pensar na constituição física do alimento”.

A tendência verde nos bares e restaurantes não só reflete uma mudança nas preferências alimentares, mas também abre espaço para a inovação e a inclusão. Ao adaptar seus cardápios para atender a essa demanda crescente, os empreendedores não apenas acompanham as tendências, mas também contribuem para a promoção de uma alimentação mais saudável e sustentável.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Ibovespa oscila com BBDC4 e PETR4 em queda e dólar cai frente ao real
Luiz Felipe Bazzo, CEO do transferbank / Foto: Divulgação

Ibovespa oscila com BBDC4 e PETR4 em queda e dólar cai frente ao real

Confira artigo de Luiz Felipe Bazzo, CEO do transferbank

Próximo
Apoio do BNDES à inovação alcança R$ 5,3 bi em operações aprovadas em 2023
Coaf e Febraban celebram Acordo para fortalecer combate à lavagem de dinheiro/ Foto: Unsplash

Apoio do BNDES à inovação alcança R$ 5,3 bi em operações aprovadas em 2023

Valor foi o maior dos últimos cinco anos e representa um aumento de 132% em

Veja também